top of page

SIMULAÇÃO EM TEMPO REAL DO ACIDENTE DOS MAMONAS ASSASSINAS IMPRESSIONA PELOS DETALHES

O canal de You Tube The Space PC realiza documentários e simulações de acidentes famosos com aeronaves. Com a repercussão do filme dos Mamonas Assassinas, o vídeo do Learjet PT-LSD tem tido cada vez mais acessos.

O acidente da banda Mamonas Assassinas ainda é um dos mais comoventes da história brasileira. Ocasionada por um erro do piloto e do copiloto, a tragédia ainda está no imaginário popular e as buscas por explicações têm se tornado mais frequentes em decorrência da exibição do longa metragem sobre os artistas de Guarulhos nos cinemas.


O vídeo, que já possui 927 mil visualizações, reconta com detalhes, e em tempo real, como foi a viagem do Learjet PT-LSD desde Brasília, onde a banda realizou o último show, até a colisão da aeronave com a Serra da Cantareira, em São Paulo. É possível entender, por exemplo, que os comandos dados pelo sistema de controle de voos do Aeroporto de Guarulhos indicavam aos tripulantes que seria necessário realizar uma curva à esquerda quando, inexplicavelmente, o piloto optou pela direita. Além de imagens de computação gráfica, os responsáveis pelo vídeo utilizaram os áudios originais do comandante do avião com a torre de controle. Chocante e esclarecedor.


Outro assunto delicado que veio à tona no final de 2023 foi a real história por trás das fotos do acidente, conhecidas por muitos por causa do site Assustador, que fez sucesso no início dos anos 2000.


Tudo começou com uma matéria de capa do extinto jornal Notícias Populares, que era ligado ao Grupo Folha. Sempre com manchetes sensacionalistas, a redação se aproveitava de temas chocantes para vender exemplares - o que deu muito certo com a edição da morte dos Mamonas. As fotos de Fernando Cavalcanti ganharam as redes anos depois e foram alvo de críticas da própria Folha de São Paulo, que criticou a ação numa de suas colunas. Outra editora, a Bloch, também divulgou fotos delicadas na Revista Manchete e com o advento da internet elas foram escaneadas e incorporadas a sites como o Assustador. Na época, ainda não havia o entendimento geral (das redações e do público) do quão ofensivo e desrespeitoso para as famílias era a divulgação de fotos de pessoas mortas.


Duas capas sensacionalistas do jornal Notícias Populares

Morreram no acidente o vocalista Dinho, o guitarrista Bento Hinoto, o baixista Samuel Reoli, o baterista Sérgio Reoli, o tecladista Júlio Rasec, o piloto Jorge Luiz Martins, o copiloto Alberto Yoshiumi, o segurança Sérgio Saturnino Porto e o roadie Isaac Souto.


De acordo com o jornalista Igor Miranda, que tem um blog sobre música e jornalismo, Fernando Cavalcanti já falou sobre o assunto em um artigo publicado no El País, no ano de 2018. Na ocasião, o profissional fez uma reflexão a respeito da cobertura, que mesclou jornalismo, entretenimento e morbidez. Em seu relato, ainda de acordo com Miranda, Cavalcanti revelou que não estava sequer escalado para trabalhar no turno em que a tragédia aconteceu. Ele estava apenas cobrindo uma folga do fotojornalista Zé Maria. Junto do repórter Hélio Santos, ouviu por meio da frequência de rádio da polícia sobre a queda do avião – que seria dos Mamonas Assassinas. Os profissionais, então, foram atrás.


O site de Igor revela que, como ainda estava escuro, não foi possível encontrar os corpos. As buscas foram retomadas pela manhã com auxílio do helicóptero da TV Globo, que pediu exclusividade da notícia em troca de ajudar as autoridades. Fernando Cavalcanti percebeu a movimentação, retirou o colete que o identificava e escondeu a câmera numa camisa, realizando os registros escondido e muito próximo ao local do acidente. O Globoplay e o Canal Brasil fizeram uma série sobre o Notícias Populares. Ela pode ser vista no aplicativo do canal.


Para assistir à simulação do acidente dos Mamonas do canal The Space PC, clique no vídeo abaixo. Não há nenhum tipo de cena chocante que desrespeite a memória dos passageiros e tripulantes. Trata-se de um vídeo técnico realizado por meio de um software com base nos dados oficiais do acidente e laudos amplamente divulgados.

O Portal Conteúdo já realizou uma matéria sobre os Mamonas quando completaram-se 27 anos da morte do grupo: https://www.portalconteudo.com.br/post/25-anos-do-acidente-dos-mamonas-assassinas


Comments


bottom of page