REVIVAL - "OS ABELHUDOS" REGRAVAM MÚSICAS 30 ANOS DEPOIS

Na década de 1980 eles fizeram muito sucesso com hits infantis, além de serem presença constante nos programas do Chacrinha e da Xuxa. Agora, em 2020, os integrantes da banda "Os Abelhudos" se juntaram para uma brincadeira com os fãs.

Renata Benévolo, Diego Saldanha e Rodrigo Saldanha

Tudo começou no Festival dos Festivais (programa da Globo em 1985), quando Rodrigo Saldanha, Diego Saldanha e Tatiana Pinheiro cantaram a música "O Dono na Terra". Ali, os filhos de produtores Renato Corrêa e Jorginho Ferreira conquistaram o Brasil. Não ganharam a primeira colocação na disputa, mas seguiram carreira de sucesso pelo país.


Com o tempo, Tatiana saiu e Renata Benévolo passou a integrar o conjunto, que em sua última formação contou com as participações de Danielle e Rafael. Cronologicamente, "Balão Mágico" e "Trem da Alegria" já estavam nas paradas, porém, quem liderava o universo pop infantil era Xuxa Meneghel, em ascensão contínua com o "Xou da Xuxa". Quando "Os Abelhudos" despontaram, o público infantil tinha muitas opções pra poder escolher o que mais agradava.

Abelhudosna TV - Acervo de Renata Benévolo

Curiosamente, é difícil falar de "Os Abelhudos" sem uma associação direta à Xuxa e ao Trem da Alegria. Isso acontece por um motivo óbvio... Eles eram crianças, eles cantavam bem e estavam no coro e diferentes discos infantis da época.


ENTENDA...


Se você já ouviu "Doce Mel", clássico de Xuxa composto por Claudio Rabello e Renato Corrêa (pai de Rodrigo e Diego), já deve ter reparado que crianças faziam aquele coro que dava volume à canção: "Em qualquer faz de conta, a gente apronta.. é bom ser moleque enquanto puder!". Temos mais exemplos, como: "Turma da Xuxa, Ahhhhhhhhhh! Turma da Xuxa". Quer mais? Olha só: "Amiguinha Xuxa, é hora de brincar... Estamos esperando só você chegar... A felicidade se fantasiou de amooooor!". Em entrevista cedida à Andrea Faria (a paquita Xiquita Sorvetão), Rodrigo chegou a comentar que numa manhã de 1986 seu pai (Renato Corrêa) comentou no café-da-manhã que tinha que produzir o tema de abertura do programa da Xuxa na Globo. Rodrigo, então criança, já tocava guitarra e sugeriu ao pai que colocasse algo como "Tan Tan, Tantan Tan Tan Tan Taaaaan". A sugestão virou um dos acordes mais conhecidos da televisão brasileira e de toda uma geração, que une teclado e guitarra nos primeiros segundos de "Doce Mel".

Xuxa e o Coro (Acervo de Renata Benévolo)

Essas crianças do coro eram agenciadas ou ligadas ao universo musical da época. Quando um disco era produzido pela gravadora, seus agentes (ou pais) eram contatados, elas iam para o estúdio, colocavam suas vozes nas músicas e davam aquela cara que a gente conhece às músicas. E quem eram essas crianças?


Pois é... Rodrigo Saldanda, Renata Benévolo e Diego Saldanha já zeraram essa vida! Se numa conversa de bar eles contarem que fizeram parte dessas músicas, pode acreditar, levantar e aplaudir de pé! Só por esse feito, eles têm uma moral inquestionável na história fonográfica do país, afinal, enquanto você e eu, caro leitor, cantamos "Evidências", de Chitãozinho e Xororó, em karaokês, o trio aí de cima pode dizer que já cantou "Festa do Estica e Puxa", Ilariê", "Tindolelê", "Campeão", "She-ra" e "Brincar de Índio nos discos que certamente você e eu tínhamos em casa.


Em entrevista do Portal Conteúdo realizada com Renata Benévolo em julho deste ano, a artista comentou como era participar dos coros de discos:


"Era emocionante! Tinha o coro fixo e o esporádico. Nós éramos do coro fixo da Xuxa. A gente chegava no estúdio, colocavam a música pra gente conhecer e aí todos recebiam os papéis com as letras e o momento de cantar. Geralmente, eram dois canais de gravação, justamente pra dobrar o efeito das vozes. Quando os canais eram duplicados novamente e com as nossas vozes, a gente vibrava, pois era sinal de mais pagamento. Nos bastidores, nossa diversão era o oposto do que fazíamos. Enquanto a gente colocava voz em músicas pra crianças, nos intervalos a gente cantava Elis Regina, Golden Boys... Era bom!"

Acervo de Josuel Junior

Além do coro pros discos da Xuxa e do Trem da Alegria, "Os Abelhudos" participaram da versão oficial da belíssima "Nós Somos o Amanhã" (Michael Sullivan e Paulo Massadas), do disco "Xegundo Xou da Xuxa". Sabe a criança que canta a primeira estrofe? É o Diego Saldanha! Ele é quem diz os versos:

"Hey, olha pra mim...

Hey, estou aqui

Pra você

Sou seu baxinho

Pedacinho de carinho"

Na segunda parte da música, é Juninho Bill, do Trem da Alegria, que repete a estrofe.

A música, criada no natal de 1986 e lançada no disco de 1987 é linda, meio triste, meio futurista e fala justamente do que pode vir a ser o mundo invadido pela tela do computador. "Nós somos o amanhã no disco voador... Coração aberto, a semente do amor".


Essas crianças do coro hoje são pais e mães crescidos que também enfrentam esse futuro de 2020 em meio a uma pandemia terrível. Como conforto e alento, Renata passou a publicar vídeos e fotos da época dos Abelhudos nas redes sociais. Rodrigo foi entrando no embalo aos poucos e até Diego, que é mais reservado, apareceu no instagram comentando a era da banda e alegrando os saudosos fãs dos Abelhudos.


Os três gravaram em julho de 2020 uma versão da música "As Crianças e os Animais" e o vídeo está disponível no Youtube. A gravação foi simples, com cada um em sua casa, mas o resultado valeu a pena. Bruno Galvão e a Agência Zone deram o toque final de direção, edição e finalização. E posso dizer sem dúvidas: ficou bonito!

A ideia dos três não é voltar a banda, mas usar esse período onde todos estão refletindo sobre o isolamento para resgatar boas lembranças e, de certa forma, celebrar com os fãs.


Os Abelhudos eram figuras cativas dos programas de televisão da década de 1980.lançaram 5 álbuns com formações diferentes e venderam mais de 200 mil cópias entre lançamentos e relançamentos. Vale lembrar que um LP quando lançado tinha sua venda continuada por anos. Havia a venda antecipada (quando o disco era comprado pelas lojas antes do lançamento oficial) e a venda de reposição. Outra questão é o tempo de sucesso. Por exemplo: as lojas de LP só pararam de comprar discos de vinil em 1997 no Brasil. Por mais que a banda seja da década de 80, era muito comum encontrar exemplares dos álbuns nas prateleiras e vitrines na década de 90 também.

Compactos e LP's lançados

Há, inclusive, uma lembrança que tenho e que nunca entendi direito... Os discos dos Abelhudos abriam pela parte de cima. Enquanto as outras capas tinham a abertura na laterial direita, os deles tinham a abertura na parte superior. Eu achava isso super diferentão e moderno. Nunca saberei se foi só o lote comprado para distribuição em Brasília ou se em todos os estados do país as capas seguiam esse mesmo padrão.

Na última semana, outra surpresa: Rodrigo, Renata e Diego postaram uma nova adaptação de outra música de sucesso: "Dia de Paraíso". A canção fazia parte do LP de 1988, o último com a participação de Renata. A música foi uma febre entre os pequenos no ano de lançamento e foi intensamente executada nos programas de TV. Os vídeos da internet que mostram imagens com alta qualidade da época do "Cassino do Chacrinha" são das reprises recentes do Canal Viva, que levou o público a acessar coisas guardadas na memória afetiva.


Nesse novo clipe, é possível ver os três cantores juntos se divetindo em estúdio. A direção e a produção são assinadas por Bruno Galvão. Em pouco mais de uma semana o vídeo já soma quase três mil acessos.


Quer encontrar os Abelhudos nas redes? É simples:


Rodrigo Saldanha: @rsaldanhajm Renata Benévolo: @renatabenevolo Diego Saldanha: @saldanhadiego

*O Portal Conteúdo entrou em contato com Rodrigo Saldanha e com Diego Saldanha, mas não obteve resposta.

AS MAIS LIDAS DA SEMANA...