MULHERES REAIS VIRAM HEROÍNAS EM "QUARENTENA DE HISTÓRIA"

Atriz faz contação de história para trazer à tona de forma lúdica e divertida detalhes da vida de mulheres brasileiras históricas. Projeto já conta com 65 vídeos publicados e funciona no Instagram e no Youtube.

BRASÍLIA - Maria Quitéria, Anita Garibaldi, Ana Neri, Nísia Floresta e Chiquinha Gonzaga. Em comum, todas essas mulheres foram protagonistas da sua própria história e acabaram por deixar marcas definitivas na História do Brasil. São mulheres como essas que a atriz Juliana Zancanaro tem pesquisado a fundo para transformar em contos que são veiculados seu canal, Alexandria Conta e Cria, em funcionamento no Instagram e no Youtube.


Juliana Zancanaro iniciou o projeto Quarentena de Histórias em março de 2020, momento em que a pandemia do coronavírus chegou ao Brasil e que acarretou no fechamento das instituições culturais de todo o país – obrigando os artistas a se reinventarem e criarem formas de se comunicar dentro do universo on-line. A ideia vingou e, ao longo de dois anos, foram produzidos 65 vídeos, sendo 60 deles sobre mulheres brasileiras e os outros cinco sobre latino-americanas. Estes foram feitos após o convite para a participação no XXX Festival Mujeres en Escena por la Paz, da Corporacíon Colombiana de Teatro, e no Festival Tiempo de Mujer, do Equador.


“Ao encontrar tantas mulheres esquecidas ou pouco conhecidas, entendi como missão trazer suas vidas e obras para jovens e adultos.”, conta Juliana. Entre nomes famosos, mas com detalhes de vida ainda desconhecidos por muitos, entraram outros apagados da História oficial como Dandara, a companheira de Zumbi dos Palmares, e Maria Firmina dos Reis, a primeira mulher a escrever um romance no Brasil. “Muitas mulheres precursoras que não são citadas ou são tratadas como coadjuvantes. É importante falar delas para conhecermos nosso passado de forma mais completa, dar-lhes crédito e, principalmente, inspirar novas gerações”, explica Juliana.


Atualmente, o projeto Quarentena de História recebeu o apoio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal por meio do Fundo de Apoio à Cultura (FAC-DF) para a produção da Série Especial DF, cuja missão é trazer à tona a história de 10 mulheres que fizeram e marcaram a nova capital brasileira.


“Muito se fala dos pioneiros, mas é fundamental conhecermos as pioneiras. Por exemplo, o mapa do DF foi desenhado por uma mulher que não consta no Arquivo Público.” diz a atriz. Entre os nomes previstos para esta série estão a topógrafa Mercedes Ribas Parada, a bibliotecária Maria da Conceição Moreira Salles, a radialista Lúcia Garófalo e Sarah Kubitschek que foi mais que primeira-dama. Também serão feitas entrevistas com mulheres ainda atuantes e reedições dos vídeos sobre Dulcina de Moraes, Lúcia Sander e Gisele Lemper.


A partir de agora, todos terão legenda descritiva e #pratodosverem nas publicações. O projeto terá ainda contações de histórias presencialmente em instituições brasilienses, sendo algumas delas dedicadas a Pessoas Com Deficiência (PCD).


Como diz a personagem Alexandria: “a História depende de quem conta e como é tradicionalmente contada por homens... que tal conhecer outros pontos de vista?”.

QUEM FAZ

Pesquisa, texto e interpretação: Juliana Zancanaro (@zancanaroju)

Direção: Luciana Martuchelli (@lucianamartuchelli)

Coordenação Geral: Reges Aragão (@regesar)

Designer gráfico: Filipe Lima (@filipeslima)

Assessoria de Imprensa: Paulo Lannes (@pelannes)

Assessoria de Acessibilidade: Ale Capone

Produção: Sartoryi


Este projeto foi realizado com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do DF


PROGRAME-SE

Quarentena de História

Instagram: https://www.instagram.com/alexandria_contaecria/channel/

Youtube: youtube.com/alexandriacontaecria


Classificação indicativa: livre

AS MAIS LIDAS DA SEMANA...