top of page

ROZAN SAI DA MATRIX EM SEU NOVO SINGLE, "ZOOM"

Acompanhado de clipe, lançamento do multiartista questiona a vida real e a virtual, da manipulação à hiperdependência nas redes    

Foto: Leandro Felgueiras

Estará a humanidade fadada a sucumbir na matrix de um mundo onde só nos conectamos com o que concordamos e ficamos cada vez mais carentes da presença, da fisicalidade humana? Esse questionamento é o ponto de partida para o novo single do multiartista Rozan, “ZOOM”, que será lançado nas plataformas de música e audiovisual no dia 29 de março, sexta-feira. A faixa inicia a sequência de lançamentos do seu primeiro EP, “Sons da Encruzilhada”.

 

O lançamento traz questionamentos sobre o atual modus operandi da comunicação da humanidade. O advento da Internet, mais especificamente a Era dos smartphones, momento que transformou as relações pessoais em relações virtuais, sem as quais parecemos não sobreviver mais. A faixa pop fala sobre olhos nos olhos, numa realidade onde as pessoas estão a maior parte de seu tempo com as cabeças baixas, fixadas em seus celulares. A data de lançamento, no dia de Corpus Christi, faz uma relação entre a vida Antes e Depois de Cristo com a vida Antes e Depois da Internet e provoca a reflexão sobre o futuro das relações. O aumento da depressão, e consequentemente dos suicídios, entre crianças e adolescentes devido ao uso excessivo das redes sociais parece ser um dos nossos maiores desafios.

 

"A composição da obra é assinada por Pedro Issler e eu, onde Pedro, um grande violonista, arquitetou a harmonia da música. Essa parceria surgiu em 2015, através do Coletivo Entre Autores, projeto que reuniu compositores da cidade de Santa Maria (RS) e região e que me proporcionou muitas outras parcerias musicais, como a de Pirisca Grecco, Gabriel Opitz, João Kanieski, Rodrigo Pata e Jordana Henriques. O fonograma conta com a produção musical do artista Muato, que trouxe sua pesquisa sobre os beats para a formulação da estrutura do arranjo. Além dessa sonoridade, buscamos influência na clave tradicional da milonga gaúcha, gênero que traz um ambiente de mistério muito particular em sua musicalidade e que combina com o discurso presente na letra. Outra referência é a clave do funk carioca, o que traz uma relação forte com a cidade do Rio de Janeiro e um clima sensual e dançante", explica Rozan.

 

Sobre o EP

O single faz parte do EP “Sons da Encruzilhada”, projeto financiado coletivamente em 2023, através da plataforma Benfeitoria. O trabalho é uma comemoração aos 10 anos de pesquisa de Rozan sobre o sapateado e as Artes Cênicas do Brasil, trazendo também a diversidade da música brasileira, as sonoridades de cada encruzilhada de nosso país. O trabalho também marca um passo importante na carreira do artista, que lançará o seu primeiro EP.

 

"A gravação desse EP é muito importante para a minha trajetória, pois é um primeiro momento de uma série de lançamentos, culminando com o lançamento do último single junto ao EP completo. Uma possibilidade dos meus seguidores ouvirem um trabalho meu com maior robustez, pois teremos cinco faixas distribuídas em todas as plataformas de música do momento. Sendo assim, cinco possibilidades sonoras distintas, pois é o que acredito enquanto compositor, na diversidade da música e suas sensações. Como um artista também do teatro, minhas composições estão mais para situações específicas, que terão relação com determinado ritmo, não com o meu posicionamento como intérprete de apenas um segmento. Sou um cantor/compositor/ator, logo falo sobre todas as emoções. Acho que isso explica também o nome do EP - Sons da Encruzilhada - onde busco trazer todas as referências musicais que fizeram parte da minha formação na música. Influências do samba, da MPB, da black music, da milonga, do jazz, do flamenco, do funk, do R&B, sem falar nos vários ritmos que certamente ouvi, mas não sei elencar", revela. 

 

A produção musical fica a cargo de Muato, artista da cena carioca conhecido pela sua carreira musical solo, mas também por seus trabalhos no teatro, sendo o vencedor do Prêmio Shell de 2024, na categoria “Direção Musical”, além de diversos prêmios nacionais e internacionais como produtor musical. 

 

"A parceria com Muato se deu após ele fazer a produção musical do meu espetáculo de sapateado “O Tambor dos Pés”, então foi uma comunicação fácil e objetiva. Em dois meses de encontros semanais, levantamos a estrutura do EP e partimos para o estúdio de gravação na Casa com a Música. Outra parceria e tanto, pois o Tuninho Villas, responsável pelo estúdio, foi um grande anfitrião para o trabalho, fazendo uma captação com o ouvido aguçado e atento, nos ajudando de maneira pontual em vários momentos", destaca.

 

Sobre o clipe

Com um roteiro escrito pelo artista Rozan, o clipe mostrará a relação de um “Eu da vida real” e um “Eu virtual”, na Matrix, que manipula as ações realizadas na vida em civilização. Através de informações, fake news e anúncios, esse avatar virtual de Rozan o levará a marcar um encontro através de um aplicativo de relacionamentos. Excitado com a possibilidade de um encontro casual, comum da nossa geração, o “Eu da vida real” irá atravessar a cidade e se deparar com as pessoas sempre conectadas, sem qualquer interação com ele. No final desse caminho, uma surpresa espera por Rozan. 

 

"A ideia do clipe surge muito pelo meu gosto em filmes como O dilema das redes, Minority Report, Eu, Robô e Matrix, onde a realidade se confunde com a vida conectada à internet. Então criei uma trajetória do herói recheada de imagens tecnológicas, um personagem real e outro da matrix, mas que no fundo se trata da mesma pessoa. Estamos diariamente submetidos às facilidades do mundo virtual e seus aplicativos que resolvem nossa vida e quase nos esquecemos da importância de almoçar sem mexer no celular. É uma das coisas que tenho tentado: apenas almoçar. Então o clipe irá trazer problematizações sobre essa nova realidade, essa nova Era, nosso novo Depois de Cristo na história da humanidade. Por isso também a escolha da data, a qual não tem a ver com a religião em si, mas com a cultura religiosa de estarmos dentro de um calendário cristão, mesmo sem sermos todos cristãos. E não há problema nisso. Mas qual será a medida para nossa geração Depois da Internet? Assista ao clipe para saber", finaliza

 

Para conferir o lançamento, acesse https://onerpm.link/976339788042     

 

QUEM FAZ O SINGLE

Composição, música e voz: Rozan

Música: Pedro Issler

Produção musical: Muato 

Estúdio de gravação: Casa com a Música 

Mixagem e masterização: Rodrigo Gavião 

Direção de arte e fotografia: Leandro Felgueiras

 

QUEM FAZ O CLIPE

Roteiro e atuação: Rozan

Direção, captação e edição: Daniel Alves

Assistente de captação e edição: Leonardo Monte

Coreografia e dançarinos: Lari Souza e Dan Souza

Participações especiais: Aisha Jambo e Giovanna Cherly

Maquiagem: Renata Bronze

Estúdio de gravação: Rota Artística - Niterói/RJ

Apoio na locação: Schinaider Célio

Assessoria de imprensa: Carlos Pinho

 

Comments


bottom of page