© 2019 - Conteúdo - Portal de Cultura e Arte de Brasília e do Brasil

 Editado por Josuel Junior e colaboradores       I     Web Designer: Caio Almeida

  • Instagram B&W

Para sugestão de pauta, envie release o e-mail:

falecomportalconteudo@gmail.com

  • Josuel Junior - Editoria

PRECISAMOS FALAR DE... ALEXANDRE LINO

Ele é ator, produtor, diretor e empreendedor das artes. Em sua passagem por Brasília, gravou um filme e fez sucesso com o espetáculo "O Porteiro". Precisamos falar de Alexandre Lino.

Lino em "Domésticas"

Nascido em Gravatá, no estado de Pernambuco, ele tem trabalhado todo dia nas mais diferentes frentes do setor cultural. O ator, produtor e diretor Alexandre Lino é fundador da Documental Cia, que tem em seu repertório sucessos de crítica, como "Domésticas" (2012), "O Pastor" (2013), "O Porteiro" (2017) e "O Substituto" (2019).


Alexandre está em cartaz quase que consecutivamente nos últimos anos. Termina uma peça e logo começa outra. Pra nós, que olhamos de longe, é um exemplo de ator bem sucedido e que está ralando muito. É um artista empreendedor. Em 2020, completa vinte anos de carreira e na última década, com a abertura de sua produtora, a Cineteatro Produções, a atenção para a própria trajetória também se ampliou.


Quem trabalha com produção cultural sabe que manter uma empresa no segmento de arte em atividade no Brasil não é tarefa fácil e requer planejamento e trabalho árduo. Hoje, a Cineteatro Produções só produz conteúdo próprio e Alexandre estabeleceu uma meta: estrear um novo espetáculo por ano - uma maneira de manter o frescor da profissão. Esse exercício empresarial e artístico mantém viva sua constante experimentação como criador. Há também os convites para integrar o elenco ou a equipe de projetos terceiros, claro. Essa dinâmica chega a ser uma oxigenação para potencializar suas funções como ator/produtor.


SUCESSO NO TEATRO


Conheci Alexandre Lino durante sua passagem por Brasília, em 2018. Na ocasião, ele estava em turnê com seu espetáculo "O Porteiro". A estratégia usada pela produção e assessoria de imprensa na capital foi sagaz e muito potente. Foi oferecida entrada gratuita para profissionais porteiros, contanto que o acompanhante deles pagasse meia entrada - Um exemplo simples de empreendedorismo que virou sinônimo de sucesso entre os contratantes e assessores da cidade. A peça, que tem forte apelo popular pela figura do porteiro Waldisney, ganha repercussão facilmente a cada estado para o qual viaja. Porém, nem só de apelo popular a obra se mantém. Há também uma notória preparação cênica dentro da comicidade e do improviso.


"'O Porteiro' é daqueles trabalhos que nos enche de orgulho. A peça já viajou por 7 Estados, 25 cidades e foi assistida até aqui por mais de 50 mil espectadores. E vai seguir assim que terminar a novela. A ação que faço em todas as cidades para os porteiros assistirem gratuitamente é de fato a forma que encontrei de devolver a eles a gentileza que tiveram comigo e com o diretor/autor Paulo Fontenelle em disponibilizar suas histórias de vida para que contássemos todas as noites pelo Brasil afora".


Durante estadia no Distrito Federal, o ator participou do curta metragem "Brasilha", a convite do produtor Paulo Vinícius, do coletivo Janela55. O curta já esteve no Festival de Cinema de Brasília, ganhou prêmios no Brasília Lobo Cine e foi selecionado para o Hollywood Verge Film Awards. Alexandre conheceu a equipe dias antes de rodar o filme. Num desses encontros, foi apresentado ao conterrâneo Romildo Nascimento, importante estilista da cidade, que o vestiu tanto nas filmagens quanto nas entrevistas.


"Estar em Brasília foi uma sucessão de grandes satisfações. Temporada de sucesso, rodar um filme e firmar uma grande amizade com um nordestino da mesma cidade que eu nasci".


Ainda no teatro, por sua atuação em “Domésticas”, foi indicado ao Prêmio Ítalo Rossi na quarta edição da FITA e foi vencedor do Prêmio na Edição de 2018 pelo espetáculo "O Porteiro". É protagonista do celebrado documentário cênico "O Pastor", que figurou no ranking das melhores peças da revista Veja Rio e de O Globo Indica, além de ser indicado ao prêmio Botequim Cultural, na categoria de Melhor Ator. Em 2015, idealizou o projeto trasmidiático (peça, livro e filme) e atuou no espetáculo "Nordestinos", com direção de Tuca Andrada. Por sua atuação em "O Substituto" recebeu crítica arrebatadora do jornal Estado de São Paulo, figurando na lista das Melhores Atuações de 2019 do mesmo jornal. Por sua trilogia nordestina "Domésticas", "Nordestinos" e "O Porteiro" recebeu o prêmio destaque na 13ª FITA - Festa Internacional de Teatro de Angra dos Reis.

"Domésticas" (2012)

São muitos os prêmios, indicações e menções em eventos, festivais, mostras e veículos de imprensa... Poderíamos publicar uma matéria por prêmio, se fosse o caso.


TELEVISÃO


Alexandre tem feito muitas participações em telenovelas. Agora, por exemplo, está com um papel de maior destaque em "Amor sem Igual". Recentemente, mais especificamente no capítulo 60 da novela, a personagem Xavier esteve envolvida numa trama policial intensa e muito bem construída pela direção. A carga dramática esteve bastante evidente e o trio de atores que dividiu o set achou o tom certo para manter o suspense e a tensão que o momento pedia. Palmas para Lino, Thierry Figueira e Thiago Giacomini.


Xavier tem sido uma surpresa para o público e para o intérprete. Conforme os capítulos têm chegado, a expectativa vai ficando cada vez mais recorrente. As cenas da tortura e a soltura do personagem trouxeram um grau de realismo muito forte. Procurado pelo Portal Conteúdo, o ator comentou que no dia em que a cena foi ao ar ele passou horas respondendo a mensagens de pessoas de várias partes do Brasil, o que comprova a boa repercussão da obra.

Frames das cenas de Amor sem Igual - Record TV

Alexandre já havia feito participações em seriados e novelas como "Milagres de Jesus", (2014), "Totalmente Demais" (2016), "Êta Mundo Bom" (2016) e "Órfãos da Terra" (2019). No entanto, é notório que em "Amor sem Igual" o ator tem tido a chance de mostrar melhor o seu trabalho no ar.


E o ano está só começando... Para 2020, estão previstos os lançamentos de três longas nos quais ele participou: “Alemão 2”, “Dispersão – o filme” e “Os espetaculares”. Haverá também o lançamento do livro "Artista Empreendedor", que será uma espécie de guia de produção para artistas.


Para quem quiser vê-lo no teatro, a dica é o espetáculo "O marido de Daniel", que entra em cartaz novamente a partir do dia 19 de março no Teatro Leblon/RJ. Na peça, Daniel (Ciro Sales) e Murilo (Bruno Cabrerizo) formam o casal perfeito e contam com a amizade do agente literário Bartô (Alexandre Lino) e do jovem idealista Fred (José Pedro Peter). A obra é uma comédia de costumes que apresenta uma ousada reflexão sobre amor, compromisso e família. A direção é assinada por Gilberto Gawronski.

"O marido de Daniel", por Cristina Granato.

Muita coisa, não é?! Por tudo isso e mais um pouco, precisamos falar de Alexandre Lino.


"Sou um ator de origem nordestina e o humor está no meu DNA. Gosto de rir e fazer rir.

A vida é melhor assim, sendo alegre"


ALEXANDRE LINO