O DOUTOR VICTOR DESCANSOU. MORREU NESTA SEXTA-FEIRA O ATOR SÉRGIO MAMBERTI

O Brasil recebe mais uma notícia triste nesta sexta-feira, dia 03 de setembro. Morreu em São Paulo o ator Sérgio Mamberti, que deu vida a muitos personagens no teatro e na TV.

Castelo Rá-tim-bum - TV Cultura

Nos palcos, ele marcou seu nome como Veludo em "Navalha na Carne", de Plínio Marcos. Era a primeira vez que um personagem gay assumia o protagonismo de forma realista, além de a peça ser toda centrada em minorias. Isso em 1967. No cinema, participou de filmes como "Toda nudez será castigada" (1973), "A menina do lado" (1983) e "O homem que desafioou o diabo" (2007). Na televisão, brilhou como Eugênio, o mordomo da família Roitmann em "Vale Tudo" (1988), Otávio Ferraz em "Anjo Mau" (1997) e o vilão Dionísio, de "Flor do Caribe" (2013). Mas foi com a personagem Doutor Victor, na série "Castelo Rá-Tim-Bum", da TV Cultura, que ele marcou uma geração de fãs que acompanharam a série em 1994 e nas tantas reprises ao longo dos anos.


Mamberti, que tinha 82 anos, estava internado em um hospital da rede Prevent Sênior com infecção nos pulmões e faleceu em decorrência de falência múltipla de órgãos na madrugada desta sexta.

Sérgio Mamberti e Renata Sorrah - Gigantes em cena na novela "Vale Tudo" - Globo

Grande articulador cultural, abrigou em sua casa em São Paulo artistas vindos do Brasil e de fora que precisavam de abrigo. Entre seus hóspedes, estão os Novos Baianos, Asdrúbal Trouxe o Trombone e The Living Theatre. Em 2021, lançou a autobiografia “Sérgio Mamberti: Senhor do meu Tempo”, escrita com o jornalista Dirceu Alves Jr. Mamberti nasceu em 22 de abril de 1939, na cidade de Santos, litoral de São Paulo. Durante mais de 60 anos, dedicou-se à arte e à cultura brasileiras por meio de diversas atividades: foi ator, diretor, produtor, autor, artista plástico e ocupou vários cargos políticos no Ministério da Cultura. Em 1964, casou-se com Vivien Mahr, com quem teve três filhos: o também ator Duda, o diretor Fabrício e Carlos. A esposa morreu em 1980.

Depois disso, teve um companheiro por 37 anos, Ednaldo Torquato, que morreu em 2019. Ao publicar sua autobiografia em abril deste ano, o ator falou abertamente sobre sua bissexualidade.

À família e ao seu legado, todo o nosso respeito e solidariedade.


*Com informações do G1.

1/3