VOCÊ JÁ VIU? SE NÃO VIU, VEJA! CANAL MEIO PONTO CONTA COM ARTISTAS DE BRASÍLIA

Lançado no último dia 15, o canal Meio Ponto surgiu da ideia de criar vídeos que fazem piadas com conteúdos didáticos e conta com nomes do cenário artístico brasiliense.

A equipe em foto de Mari Mattos

Estreou última segunda-feira (15) o canal de vídeos de humor Meio Ponto, projeto criado e executado por artistas de Brasília. A proposta do grupo é fazer esquetes de humor com conteúdos didáticos e pedagógicos. Os vídeos são veiculados simultaneamente no Instagram (instagram.com/canalmeioponto), TikTok (tiktok.com/@canalmeioponto), YouTube (bit.ly/canalmeioponto) e Facebook (facebook.com/canalmeioponto), sempre às segundas-feiras, às 10h. Sério... vai bem além da espectativa! Nós vimos e nos amarramos na proposta.


O ator Abaetê Queiroz conta que o projeto surgiu da união de duas ideias. “A vontade antiga que eu tinha de criar um canal de humor, e a ideia do professor Leo van Holthe de usar a arte como ferramenta direta para a educação. A coragem necessária veio do Leo, que se reuniu comigo e com a Juliana Drummond, para formularmos a ideia concreta”, afirma. “Queremos construir um canal de humor, com tema livre, e por enquanto o Meio Ponto está focado em roteiros que agradam o público em geral, mas com conteúdos específicos do ensino médio, Enem, vestibulares e concursos públicos”, explica Queiroz.


O professor tinha o desejo de unir a educação com a arte, em especial a comédia. “Seja um conhecimento a ser levado para uma prova, seja para a vida cotidiana, com humor, tudo se aprende de forma mais prazerosa e até efetiva. Saber sem sabor dificilmente é aprendido”, define Leo van Holthe. Especializado em direito constitucional, ele acredita que fazer comédia com temas educativos têm “objetivos semelhantes aos de qualquer professor, ou seja, fazer-se entender, transmitir os conhecimentos da melhor forma possível, com uma visão humanista de mundo e promover o desenvolvimento dos alunos, e tudo isso por meio da piada”.


Cristiano Vieira, diretor de cinema, é quem dirige a produção. “A galera é muito boa! São atores e atrizes muito prontos, rápidos na resposta do que a gente precisa de um artista, e já vêm com tudo pronto. Foi muito fácil e divertido. Eu gosto da estética. Unir humor com conhecimento, passar isso de uma forma lúdica, é muito bom, e é uma proposta diferente das esquetes de humor que já existem na internet. Quem está estudando vai receber o conhecimento de uma forma diferente. Para quem não vai assimilar o conteúdo didático, a piada é entregue da mesma forma”, diz o diretor.


No primeiro episódio, Marcellus Araújo é Talibronson, num oum candidaro político que precisa adequar seu discurso no dia da gravação da habitual campanha eleitorial. No contexto, o Talibã retomou o controle político do Afeganistão e fundou por aquelas bandas um Emirado Islâmico, que prega a proibição de leitura de livros, de práticas recreativas e desportivas, censura nas artes, cinema, teatro e televisão, restrição severa dos direitos das mulheres, além da confusão entre estado e religião. Essas não são pautas, digamos assim, compatíveis com nosso Estado Democrático de Direito, mas que, infelizmente, revelam muito sobre um certo Brasil de 2021.

O GRUPO

A formação do elenco foi importante na concretização do projeto. “Precisávamos de uma equipe talentosa, ágil e enxuta. Conseguimos fechar uma ficha técnica de profissionais que, além de serem intérpretes, desempenham todas as outras funções necessárias, que são muitas”, detalha Queiroz.


Segundo a atriz Juliana Drummond, “o processo de criação e de trabalho é incrível. É gente que já trabalha há um bom tempo junta e reunida. São muitas frentes nas quais cada pessoa desse grupo atua, em colaboração mútua. Além de assinarmos o projeto como atrizes e atores, somos também parte da equipe técnica, colaborando para o resultado final, e esse processo é muito propositivo, rápido e afetuoso”. A coordenação do projeto é de Abaetê Queiroz e Juliana Drummond, que também assina a direção de arte; os roteiros são de Léo Gomes e Saulo Pinheiro; Guilherme Angelim é o produtor executivo; Daniela Vasconcelos e Nathalie Amaral são as produtoras; Marcellus Inácio e Patrícia Meschick fazem a comunicação.

Equipe do projeto

De acordo com o diretor Cristiano Vieira, isso também foi uma vantagem. “Dirigir os vídeos é muito bom porque a troca com todas as pessoas é muito interessante. Por todo mundo ter mais de uma função, isso faz com que a equipe seja enxuta, com todas as pessoas muito focadas”, explica.


PROGRAME-SE

Meio Ponto Vídeo novo sempre às segundas-feiras Instagram: instagram.com/canalmeioponto

YouTube: bit.ly/canalmeioponto

TikTok: tiktok.com/@canalmeioponto

Facebook: facebook.com/canalmeioponto

AS MAIS LIDAS DA SEMANA...