top of page

PROJETO DE DANÇA SELECIONA PARTICIPANTES DO DF PARA RESIDÊNCIA ARTÍSTICA

Aquário de Almas Sutis: corpos estelares e falsos brilhantes é uma ode somático-performativa ao universo musical da cantora Elis Regina, aprofundando-se nas questões que envolvem os temas políticos, sociais e relacionais das músicas que fazem parte do seu repertório.

Mitopoiesis - Acervo CEDA-SI

O projeto Aquário de Almas Sutis consiste na montagem de um espetáculo de dança contemporânea para seis dançarinos(as) inspirado na obra coreográfica original (solo) Élice, estreado em 2016 e motivado pelo universo musical da cantora Elis Regina. O projeto contará com as seguintes ações:


- AUDIÇÃO pública para a seleção de elenco;

- TEMPORADA com 9 (nove) apresentações gratuitas no Distrito Federal.

- DEBATES TEMÁTICOS (com intérprete de LIBRAS),

- ENSAIO ABERTO com foco em estudantes de teatro e dança do Distrito Federal;

- OFICINA prática com duração mínima de 4 (quatro) horas em que serão compartilhados os procedimentos criativos desenvolvidos durante a montagem.


A dança, as práticas somáticas e a pesquisa vocal são elementos presentes no processo criativo, a fim de experimentar modos integrados de criação em dança. Esta montagem busca promover e alimentar o cenário atual da dança no Distrito Federal, ao promover audição no formato de mini residência para a seleção do elenco.


Os temas que envolvem a cantora Elis Regina são inúmeros e vários desdobramentos podem e merecem ser realizados no intuito de manter vivo o legado artístico deixado ao país por uma de suas maiores cantoras. A proposta aqui é continuar a pesquisa de seu repertório, envolvendo dramaturgicamente no movimento dançado os temas sobre os quais ela canta com seu arrebatamento artístico.


Elis Regina cantou sobre o povo brasileiro. O seu repertório e o arrebatamento de suas interpretações fizeram dela uma cantora popular. Como consequência, exportou música popular brasileira de qualidade para diversos países. Os aspectos sociais e políticos da obra de Elis são evidenciados pelas letras das músicas que escolheu para o repertório de seus discos. E em se tratando de música, ela ainda militou incessantemente pela sua classe, lutando a favor dos músicos em diversas ocasiões, com ações muito precisas frente às associações desta classe.


Com seis dançarinos em cena, esta montagem se propõe a selecionar dançarino(a)s profissionais do Distrito Federal por meio de audição pública. Além de terem a oportunidade de vivenciar um processo criativo e partilhar de sua arte com o público, os participantes serão envolvidos em procedimentos específicos de composição cênica em dança que envolvem as pesquisas aprofundadas que o coreógrafo e pesquisador diretor da obra tem desenvolvido com mais ênfase nos últimos dez anos.


“Trazer Elis Regina para um palco de Dança é resgatar o poder do apelo social e político de sua arte. A música de Elis Regina é provocativa. Assim é também seu desempenho cênico. Resgatar o acervo musical e biográfico da cantora para montar um espetáculo de dança contemporânea com artistas do Distrito Federal é resgatar o legado da arte brasileira e atualizar em dança um universo menos conhecido das novas gerações”, comenta Diego Pizarro, diretor geral do projeto.


A ação conta com dois tipos de Formulários: um para pessoas dançarinas experientes e outro para pessoas estagiárias.


INSCRIÇÕES ABERTAS PARA PESSOAS DANÇARINAS EXPERIENTES

DE 14 A 26 DE FEVEREIRO DE 2023

Formulário para pessoas dançarinas experientes: Clique Aqui


A mini residência é um processo de seleção de 06 pessoas dançarinas para participação de processo criativo de composição de obra coreográfica com estreia agendada para julho/agosto de 2023.


O processo criativo se estende de meados de março até agosto de 2023, consistindo em aproximadamente 05 (cinco) meses de trabalho, de segunda-feira a quinta-feira, de 19h às 22h, no Instituto Federal de Brasília, 610 Norte - L2 Norte.


O valor total do cachê para pessoas dançarinas selecionadas é de R$5.000,00, seguindo as seguintes regras:

- A participação integral em todos os quatro dias da mini residência, com pontualidade, é imprescindível para que sua candidatura seja considerada, consistindo-se como um critério básico de seleção;

- O resultado da seleção para participação na mini residência/audição será divulgado no dia 01/03/2023 e as dúvidas podem ser enviadas pelo e-mail: cedasidf@gmail.com



INSCRIÇÕES ABERTAS PARA PESSOAS ESTAGIÁRIAS

DE 14 A 26 DE FEVEREIRO DE 2023

Formulário para pessoas estagiárias: Clique Aqui


A mini residência é um processo de seleção de 10 (dez) pessoas estagiárias para acompanharem um processo criativo de composição de obra coreográfica com estreia agendada para julho/agosto de 2023.


O processo criativo se estende de meados de março até agosto de 2023, consistindo de aproximadamente 05 (cinco) meses de experiência, de segunda-feira a quinta-feira, de 19h às 22h, no Instituto Federal de Brasília, 610 Norte - L2 Norte. A participação como pessoa estagiária não é remunerada e para este projeto também não há ajuda de custo de nenhuma categoria.


Para o estágio, é necessário seguir as seguintes regras:

- A participação integral em todos os quatro dias da mini residência, com pontualidade, é imprescindível para que sua candidatura seja considerada, consistindo-se como um critério básico de seleção;

- O resultado da seleção para participação na mini residência/audição será divulgado no dia 01/03/2023. Dúvidas podem ser enviadas pelo e-mail: cedasidf@gmail.com


“A realização de audição pública, no formato de mini residência para a seleção de elenco, oportuniza a ampla concorrência para os profissionais da dança da região, enfatizando a necessidade da formação e reciclagem na área da dança e permitindo que o cenário da dança se atualize com diferentes elencos e diferentes encontros de profissionais interessados em temas em comum; além dos dançarinos contratados, serão oportunizadas vagas para estagiários não remunerados, corroborando para o ambiente formativo da dança, em especial em uma comunidade em que cursos formais em dança são recentes, como o curso de Licenciatura em Dança do Instituto Federal de Brasília, por exemplo. Abrir espaço para que pessoas estagiárias possam participar do processo é uma contribuição para a região de forma ampliada e de fundamental importância na capacitação”, finaliza Diego Pizarro.


Este projeto é realizado com recursos do Fundo De Apoio à Cultura do Distrito Federal (FAC/DF)


QUEM FAZ

Direção Geral: Diego Pizarro

Assistência de Direção: Sabrina Cunha

Preparação rítmica: Victória Ponte Oliveira

Criação musical: João Lucas

Cenografia e figurinos: Roustang Carrilho

Fotografia: Tom Lima (@tomlimaphotographer)

Realização: CEDA-SI - Coletivo de Estudos em Dança, Somática e Improvisação

Produção: LINHA 3 produções culturais

Assessoria de Imprensa: Josuel Junior

コメント


bottom of page