top of page

PROJETO CRIOULOS ESTREIA A PEÇA "VIDA BANDIDA"/ SP

Espetáculo, escrito por Angelo Lopes, dirigido e adaptado por Caio D’aguilar, também tem apresentações gratuitas nos CEUs Caminho do Mar, Aricanduva e Capão Redondo

Crédito: Leandro Valle

A vida invisibilizada de pessoas em situação de rua é tema de Vida Bandida, texto inédito de Angelo Lopes, dirigido e adaptado por

Caio D’aguilar que estreia dia 18 de novembro no Teatro de Contêiner, onde segue em cartaz até 11 de dezembro. O espetáculo também tem apresentações gratuitas nos CEUs Caminho do Mar (22/11), Aricanduva (29/11) e Capão Redondo (30/11).


O trabalho tem direção e adaptação de Caio D’aguilar e traz no elenco Fernanda Ross, Balbino de Paula, Ilunga Malanda, Carlos de Niggro, Diogo Cintra, André Rosa, Taynã Marquezone, Marisa Mainarte, Edelsioela Denecir, Priscilla Rosa e Tom Nunes.


A dramaturgia nasce das experiências do psicanalista paulistano Angelo Lopes ao trabalhar, desde 2006, com diversas ONGs que atendem a pessoas em situação de rua, em especial, população LGBTQIAP+, crianças e donas de casa. O texto também reflete o olhar da sociedade, que não sabe como lidar com esses cidadãos invisibilizados, mas, muitas vezes, usa da violação contra esses corpos vulneráveis.


A trama se passa no Beco da Vergonha, onde a catadora de papelão Lita, sua filha Antônia e um grupo de pessoas em situação de rua sofrem com a perseguição religiosa, a filantropia televisionada e a opressão policial. Com mistura de comédia e tragédia, a peça convida a plateia a refletir sobre a eugenização e a gentrificação de espaços hoje encontrados como foco para grandes corporações políticas que estimulam a realidade crescente da população de rua a partir de uma pandemia, junto ao descaso do Estado como facilitador de violências a corpos em situação vulnerável numa sociedade muitas vezes hostil, fria e cruel.


O espetáculo une elementos da dança e música como uma instalação artística e expõe, por meio da ficção, a triste realidade estrutural de nosso país: em sua maioria, os que vivem na rua são pessoas negras.


Sobre o Projeto Crioulos

Criado em 2017 por Caio D’aguilar, o Projeto Crioulos surge de leituras e encontros entre artistas pretos e pretas, ocupando os espaços culturais da Funarte e da Oficina Oswald Andrade, no centro de São Paulo. O grupo estreou em 2020 seu primeiro trabalho, a peça Crioulos, que teve temporadas nos Sescs Santo Amaro, Santos, Interlagos e Santana.


Crioulos é uma peça cômica e ácida que segregou a plateia, dividindo os assentos entre negros e brancos. O espetáculo gera reflexões polêmicas e debates sobre a luta atual da negritude brasileira e norte-americana, e deu início a uma pesquisa continuada com dramaturgias inéditas.

O grupo apresentou o trabalho em festivais durante a pandemia de forma híbrida e realizou uma circulação pelo litoral paulista no início de 2022, com apoio do edital PROAC, levando discussões pertinentes de temas contemporâneos para alunos de escolas estaduais e municipais, junto a professores e artistas locais.


Sinopse

No Beco da Vergonha, uma história é contada como impasse. Lita, a catadora de papelão, e sua filha Antônia, junto a um grupo de moradores de rua, sofrem em suas rotinas intervenções constantes, como perseguição religiosa, filantropia televisionada e opressão policial. Vida Bandida narra pela ficção a realidade do mal contemporâneo estrutural: em sua maioria os que vivem na rua são pessoas negras!


QUEM FAZ

Direção Geral e adaptação: Caio D’aguilar

Texto: Angelo Lopes

Produção Geral: Taynã Marquezone e Caio D’aguilar

Assistente de Produção e Financeiro: Anderson Negreiro

Assistente Financeiro: Taynã Marquezone

Elenco: Fernanda Ross, Balbino de Paula, Ilunga Malanda, Carlos de Niggro,

Diogo Cintra, André Rosa, Taynã Marquezone, Marisa Mainarte, Edelsioela Denecir, Priscilla Rosa e Tom Nunes

Músico: Denis Lisboa

Figurino: Maiwsi Ayana

Cenografia: Diego Machado

Concepção Musical e Trilha Sonora: Caio D’aguilar e Marcos Trakinas

Concepção Projeção: Junior Docini, Taynã Marquezone, Ilunga Malanda e Caio D’aguilar

Desenho de Luz: Junior Docini Operação de Som: Anderson Negreiro

Operação de Luz e Projeção: Junior Docini

Arte e Designer: Genilson Junior

Fotografia Divulgação: Vitor Pickersgill

Filmagem e Fotografia Espetáculo: Felipe Gabriel

Social Mídia: Taynã Marquezone e Caio D’aguilar

Preparadores (oficineiros): Denis Lisboa (percussão), Eduardo Silva (interpretação), Tainara Cerqueira (dança afro) e Lucía Soledad (voz)

Assessoria de Imprensa: Pombo Correio

Instagram e Facebook: @projetocrioulos


PROGRAME-SE

Vida Bandida, do Projeto Crioulos

Classificação: 12 anos

Duração: 90 minutos


Teatro de Contêiner

Rua dos Gusmões, 43 - Santa Ifigênia

Temporada: 18 de novembro a 11 de dezembro, às sextas-feiras e aos sábados, às 20h, e aos domingos, às 18h

Ingressos: R$20 (inteira) e R$10 (meia-entrada)

Vendas pelo Sympla, ou bilheteria no local (PIX, cartão de crédito ou débito, dinheiro)


Circulação nos CEUs


CEU Caminho do Mar

Avenida Eng. Armando de Arruda Pereira, 5241, Vila do Encontro

Quando: 22 de novembro, às 15h e às 20h

Entrada: gratuita


CEU Aricanduva

Avenida Olga Fadel Abarca, s/n, Jardim Santa Teresinha,

Quando: 29 de novembro, às 15h e às 20h

Entrada: gratuita


CEU Capão Redondo

Rua Daniel Gran, s/n, Jardim Modelo

Quando: 30 de novembro, às 15h e às 20h

Entrada: gratuita


Comments


bottom of page