PEÇA "DRIVER" ESTREIA NESTA SEMANA

Criação coletiva a partir de histórias autobiográficas, a peça online Driver estreia no dia 16 de outubro e busca colocar em cena os conflitos internos dos atores apaixonados de uma perspectiva bem-humorada, com pitadas de ironia e de auto deboche.

João Caldas Fº

Os cinco jovens atores-criadores foram convidados pelo diretor a colocar à prova seus limites amorosos realizando loucuras de amor - a partir de suas próprias histórias -, que se situam nas barreiras entre o lúdico e o real, entre o espaço fechado e a imensidão da cidade. A partir da fusão de diversas linguagens artísticas, o espetáculo performático busca, de um jeito leve e rodeado de divertimento, caminhar por zonas de intermissão no cotidiano e no amor, gerando outros afetos.


Todos os atores partem de suas próprias histórias. Tem personagem que saltou de asa delta por um amor carioca, que projetou na Rua da Consolação o pedido de mais uma chance, que espalhou o perfume na linha de metrô que a amada usa todos os dias, planejou lua de mel antes do namoro ou comemorou aniversário de fim da ponte Sumaré.


Ambientada em uma balada secreta no centro da cidade de São Paulo (ponto inabitável e underground), junto a momentos na própria cidade, os jovens concretizam as maiores loucuras de amor, tentando assim buscar a intermissão em meio à obsessão da paixão intensa e juvenil urbana.


A proposta é trazer para a atmosfera do espetáculo as próprias relações - em seus vazios completos e seus preenchimentos totais -, além do diálogo entre privado e público, indivíduo e todo - com seus respectivos desdobramentos na cidade a partir do amor. Portanto, a cidade, com sua composição arquitetônica e seus espaços inabitáveis, se torna o cenário que é explorado ao máximo por meio de propostas “megalomaníacas” dos atores, além do uso de seus próprios corpos em amplitudes máximas. Poesia em meio, e por meio, da desordem do amor.


Além disso, o objetivo é explorar novas possibilidades de trabalhar no hibridismo de teatro e audiovisual, como consequência absoluta da pandemia que assolou o ano de 2020.


O texto do espetáculo foi construído coletivamente. A partir de provocações do diretor, os atores-criadores escreveram textos autobiográficos em diferentes formatos: epístolas, manifestos, poemas, entre outros, sempre buscando desbravar as fronteiras entre obra e artista no mundo urbano e lúdico do amor. Essa dramaturgia, portanto, foi escrita ao longo de um ano e meio - tempo do processo de trabalho.


O elenco busca resgatar e vivenciar o ápice do sentimentalismo juvenil - cada um à sua maneira e a partir de sua própria história - concretizando suas loucuras amorosas e experienciando a vitalidade e a mortalidade que caminham lado a lado com as suas intensidades mais reprimidas.


Como combustível e inspiração, permearam obras clássicas da literatura - como Os sofrimentos do Jovem Werther de Johann Wolfgang von Goethe; A metamorfose de Franz Kafka; O Amante de Marguerite Duras, Primeiro amor de Samuel Beckett -, e temas como filosofia, arte contemporânea e jornalismo, trazidos pela presença de artistas e pensadores contemporâneos convidados e escolhidos pelo diretor ao longo do processo.


QUEM FAZ

Idealização e direção: Victor Abrahão

Elenco: Bia Ferraresi, Duda Paiva, Leila De Noce, Matheus Mascarenhas, Marcelo Stehlick

Assistente de direção: Maria Kowales

Dramaturgia: Victor Abrahão, Maria Kowales e elenco

Videomaker: Gustavo Bricks

Iluminação: Iohann Iori Thiago

Sonoplastia: Victor Abrahão e Marcelo Stehlick

Figurinos: Victor Abrahão e elenco

Operador de luz: Ivan Santos

Operador de som: Marcelo Stehlick

Fotografia: João Caldas

Assessoria de imprensa: Pombo Correio

Produção: Coletivo

Provocadores: Camila Minhoto, João Carlos Assumpção, Nany People, Thiago Alixandre e Wagner Vasconcelos

Imagens drone: Gui Ferrari

Edição “loucuras de amor”: Marcelo Stehlick e Victor Abrahão

Apoio: Asa delta tour, Movimento Projetemos, Teatro Viradalata

Local de gravação: Teatro Viradalata


PROGRAME-SE

16 de outubro até 15 de novembro

Sábados e segundas, às 21h; domingos, às 19h.

Ingressos: http://sympla.com.br/driver

R$ 20

Duração: 50 minutos

Classificação indicativa: 12 anos

AS MAIS LIDAS DA SEMANA...