FABRICIO BOLIVEIRA LANÇA 2A EDIÇÃO DE PROJETO DE FORMAÇÃO AUDIOVISUAL PARA JOVENS COM APOIO DA ONU

Formação idealizada para ampliar o acesso de jovens historicamente discriminados ao cinema conta com o apoio da Organização das Nações Unidas e abre 250 vagas para jovens de todo território nacional.

Foto: Shai Andrade

O ano de 2021 marca os 20 anos da 3ª Conferência Mundial contra Racismo, Discriminação Racial, Xenofobia e Intolerâncias Correlatas, realizada em Durban, na África do Sul. O ano marca também a criação do Cinema do Futuro (CDF), iniciativa que pretende ampliar o acesso de jovens historicamente discriminados ao cinema, inclusive como produtores de conteúdos. As inscrições para as 250 vagas da segunda edição do CDF acontecerão de 06 a 11 de outubro de 2021.


O CDF se propõe a articular ideias mais igualitárias e anti-racistas em prol de um futuro em que as pessoas negras e/ou em vulnerabilidade social tenham o poder da câmera e possam elas mesmas construir suas narrativas de vida. A ONU atua como co-realizadora da atividade de formação Cinema do Futuro, idealizada e realizada pela Produtora PrasCabeças.

A formação reuniu em 2021 (entre os meses de junho e agosto) grandes artistas do cinema brasileiro - nomes que fazem na contemporaneidade o cinema que se quer rumo ao futuro - em encontros virtuais gratuitos voltado para jovens negros, indígenas, trans, mulheres e jovens periféricos, entre 13 a 20 anos. A formação é liderada pelo ator Fabrício Boliveira (Produtora PrasCabeça) em parceria com a jovem Yasmin Boliveira (17 anos).


A parceria com o Sistema ONU possibilitou ampliar o número de vagas para um total de 250. Os encontros serão realizados pela plataforma ZOOM e as inscrições por meio do Instagram da produtora @prascabecasprodutora e do ator @fabricioboliveira.

A Conferência Mundial contra Racismo, Discriminação Racial, Xenofobia e Intolerâncias Correlatas foi realizada em 20001 e ficou conhecida como Conferência de Durban. O evento foi marcado por grande expectativa por uma união global contra todas as formas de racismo e xenofobia. Apesar dos avanços registrados nesses 20 anos, ainda há muito por fazer para que todas as formas de racismo sejam de fato eliminadas. A Conferência possibilitou, no entanto, que a luta contra o racismo fosse elevada a debates públicos e que mulheres e homens de todo o mundo, inclusive das periferias, tivessem suas vozes ampliadas para fortalecer sua luta.


Foi a partir da voz de negros e negras que nasceu o Cinema do Futuro. O ator Fabrício Boliveira identificou a dificuldade da irmã, Yasmin Boliveira, de 17 anos, de ter acesso ao cinema. Juntos deram início à iniciativa gratuita voltada para jovens de 13 a 20 anos, prioritariamente negros, indígenas, trans e jovens em situação de vulnerabilidade social. Nesta segunda edição da formação, que terá duração de 45 dias, poderão se inscrever jovens de todo o território nacional para as 250 vagas disponíveis.


“É preciso consolidar a participação de artistas negros na indústia do cinema de forma efetiva e nos mais variados espaços. A representatividade que se diz hoje ainda é no campo das ideias, mais no desejo do que se vê no dia a dia e nas consequências sociais na vida dessas pessoas. O cinema do Futuro quer construir caminhos, a partir das referências que temos, para que esses artistas possam crescer pessoal e profissionalmente”, afirma Fabrício Boliveira

Os encontros proporcionados pelo CDF trazem noções sobre o que faz cada profissional envolvido na construção de um filme, além dos conhecimentos técnicos e experiências pessoais dos instrutores que participam do projeto. Entre eles, estão Glenda Nicácio (diretora de Café com Canela), falando sobre direção de arte; Everlane Moraes (documentarista), discutindo direção; Ana Flávia Cavalcanti (atriz), falando sobre atuação; Diana Moreira (figurinista e produtora de Breve Miragem do Sol), falando sobre figurino e Eryk Rocha e os irmãos Carvalho, falando sobre edição/ montagem e roteiro.


Nesta edição do CDF, os alunos terão um módulo sobre a Conferência de Durban para que possam refletir sobre a importância da transformação de ações afirmativas em agendas político-sociais. Esse módulo acontecerá no dia 15 de outubro de 2021 e será transmitido pelo Youtube e aberto ao público.


Como resultado final dos encontros, serão apresentados, de forma colaborativa, cinco vídeos sobre Durban, construídos coletivamente ao longo das semanas de formação do CDF.

AS MAIS LIDAS DA SEMANA... 

1/3