O LONGA "A RODA DA VIDA" PROMOVE DEBATE COM O PÚBLICO

Filme sobre arte, budismo e política reflete questões contemporâneas acirradas pelos desafios de 2020, entre pandemia, desastres ambientais e luta de classe.

Foto: Paula Carrubas

Coronavírus, incêndios no Pantanal e na Amazônia e, há poucos meses, uma nuvem de gafanhoto que se aproximava do Brasil. Os acontecimentos de 2020 surpreendem e mudam a vida da população, mas esses desequilíbrios não são novos. E o longa-metragem “A Roda da Vida” se conectou com essas notícias por causa dos temas que promove. Os diretores da obra, William Alves e Zefel Coff, participarão de debate virtual no dia 21 de outubro.

O filme apresenta dois personagens chamados Osmar com realidades muito diferentes. O Osmar pobre é um morador de rua e, para sobreviver, se torna um catador. Um dia ele conhece uma trupe circense e é convidado a ficar na vila dos artistas. Ele estuda com os oleiros locais e se torna um artesão do barro. Mas Osmar Maia, que é um rico empresário do ramo imobiliário, compra as terras de onde os artesão retiram o barro. Nesse encontro de realidades, a luta de classes se manifesta.

Essa não é a primeira obra de Coff sobre a especulação imobiliária e as disputas de poder. Ele dirigiu e produziu, junto com Chico Furtado, dois filmes sobre o tema: “Sagrada terra especulada” e “A ditadura da especulação” sobre as tentativas infrutíferas de expulsão dos indígenas que moram numa floresta no final da Asa Norte desde a década de 50, onde se localiza o Santuário dos Pajés. O objetivo da pressão sobre os indígenas era a construção do bairro Setor Noroeste.

Em meio à luta de classes, o filme “A Roda da Vida” promove o encontro entre os protagonistas — o Osmar pobre e o Osmar rico. A narrativa por vezes assume um caráter onírico entre os personagens principais, mesclando sonhos e pesadelos. A direção de arte complementa essa visão.

O longa-metragem foi realizado com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal (FAC/GDF). A obra foi exibida em quatro festivais — incluindo o Festival de Brasília e o Santos Film Festival — e foi selecionado agora em outubro de 2020 para o Ficca - Festival Internacional de Cinema do Caeté, em Portugal. O filme estará disponível por tempo limitado em exibição online gratuita. Do dia 21 até dois dias após a live de debate do “A Roda da Vida”, a obra estará liberada no site www.passearte.com.br. Depois disso, o filme estará disponível para venda e parte dos recursos serão revertidos para o fundo de apoio da escola Aldeia CEBB Alto Paraíso.

PARA ASSISTIR AO DEBATE

Data: 19h45 de 21/10

Plataforma: http://www.bit.ly/tarapetv

Para assistir ao filme: www.passearte.com.br

1/5

© 2019 - Conteúdo - Portal de Cultura e Arte de Brasília e do Brasil

 Editado por Josuel Junior e colaboradores       I     Web Designer: Caio Almeida

  • Instagram B&W

Para sugestão de pauta, envie release o e-mail:

falecomportalconteudo@gmail.com