"O JOGO DO PODER" - LEITURA DRAMÁTICA DA OBRA DE SHAKESPEARE

Leitura online da obra de Shakespeare, adaptada por Carlos Queiroz Telles no texto "O Jogo do Poder", acontece dia 23 em comemoração à data de nascimento e morte do bardo.

No dia 23 de abril, data de nascimento e morte do Bardo, artistas que fazem ou fizeram parte da história do Teatro Oficina realizam a leitura online do espetáculo O JOGO DO PODER, inspirada em obras de Shakespeare, uma adaptação de Carlos Queiroz Telles. Os atores ", leem o texto - um pot pourri que traz como tema central o jogo do PODER na obra de Shakespeare. Cada ator encontra-se em cidades diferentes, Giulia Gam (Rio de Janeiro), Ricardo Bittencourt (Berlim), Fioravante e Adão em São Paulo, o diretor Marcelo Drummond em sua casa em São Paulo. A leitura será transmitida no canal do Youtube Teatro Oficina Uzyna Uzona TV UZYNA.


O texto de Queiroz cita grandes obras de Shakespeare, como: Ricardo II, Rei Lear, Macbeth, Henrique IV, Comédias dos Erros, Júlio César, A Tempestade, Troilo e Cressida, Timor de Atenas e Hamlet, e passa por grandes personagens do autor, de maneira que em uma mesma peça, a atriz Giulia Gam representa Lady Macbeth, Volumia, Alcoviteira, Cleópatra, Isabel, Catarina, Regan, Margarida, e por fim a própria atriz; o ator Ricardo Bittencourt representa Macbeth, Coriolano, Alcoviteiro, Mensageiro, Angelo, Petruchio, Hamlet, Lear, Antônio, Timon , Henrique e por fim o próprio ator, e os outros dois atores Fioravante Almeida e Adão Filho interpretam os papéis coringa.


O JOGO é composto exclusivamente por textos extraídos das peças teatrais de William Shakespeare, retrata o fenômeno do “Poder” na obra do autor e na humanidade. Conduzida por Coringas e inúmeros personagens históricos dos clássicos textos do autor como: Ricardo II, Rei Lear, Macbeth, Henrique IV, Comédia dos Erros, Júlio César, A Tempestade, Troilo e Cressida, Timon de Atenas e Hamlet. Um pot pourri no qual o autor costura e adapta as cenas, dividindo a peça em três grandes momentos: A ambição do poder, o exercício do poder e a perda do poder.


Os artistas deste projeto e suas conexões com o Teatro Oficina

A leitura conta com a participação de Giulia Gam, Ricardo Bittencourt, Fioravante Almeida e Adão Filho, sob a direção de Marcelo Drummond, todos integrantes ou ex integrantes do Teatro Oficina, coroando essa coincidência da gira da roda dourada do poder do destino. Queiroz Telles, o autor, foi um dos fundadores do Teatro Oficina, que abriu as portas do espaço com o espetáculo de sua autoria "A Ponte", em 1958, Fioravante Almeida fez parte do grupo Uzyna Uzona por 10 anos e fundou o Projeto Bixigão (Projeto Social, inserindo as crianças de situação de vulnerabilidade da proximidade do bairro do Bixiga a participarem do espetáculo épico "Os Sertões", encenado inclusive na Alemanha), Giulia Gam, protagonista de Cacilda, que ao lado de Bete Coelho, marcou a história do Teatro em 1998, Adão Filho, ator que fez história no oficina, e atuou em inúmeros espetáculos, sendo sua atuação um grande destaque em Hamlet, encenado também no Teatro Oficina e Ricardo Bittencourt, protagonista de inúmeras peças do Teatro Oficina.


Sobre Carlos Queiroz Telles Carlos Queiroz Telles - adaptação do texto.

Paulista, advogado, publicitário, professor, jornalista, poeta e dramaturgo, teve sua primeira peça apresentada em 1958. Foi “A Ponte”, que marcou a fundação do Grupo de Teatro Oficina. Mais tarde, seguiram-se: Frei Caneca (72), A Semana (72), A Viagem (72), O Jogo do Poder (74), Porandubas Populares (75), O Processo de Joana (75), Muro de Arrimo (75). Por estes trabalhos recebeu os prêmios Moliére e APCA referentes aos anos de 72 e 75. “A Bolsinha Mágica de Marly Emboaba” e “Muro de Arrimo” tiveram montagens na França, Espanha, México, Bélgica, Holanda entre outros países da Europa e América Latina. Escreveu para crianças “Draculinha a vida acidentada de um vampirinho”, “A Revolta dos Perús”, entre outras. Faleceu em 1993. De sua obra teatral ainda são inéditos os textos para teatro: “O Vestibular”, “A Heróica Pancada”, “Banzai Brasil” .


Sobre Marcelo Drummond - direção.

Ator no Teatro Oficina Uzyna Uzona desde 1986. Participou como ator, diretor, produtor ou iluminador de quase todas as montagens do grupo sediado no Bixiga. Atualmente, além de atuar com o grupo, tem um trabalho solo: Paranoia de Roberto Piva, no qual se debruça sobre a obra do poeta paulistano.


Sobre Giulia Gam - atriz.

Começou aos quinze anos de idade com o diretor Antunes Filho, que a selecionou para uma montagem de Romeu e Julieta, em 1984. Com a companhia de Antunes, viajou numa grande turnê pela Austrália, Europa, Estados Unidos e Israel. Depois que a companhia se dissolveu, viajou para Paris, onde encontrou Peter Brook, que a motivou a continuar com a sua carreira. Em janeiro de 1987, de volta ao Brasil, junta-se no elenco da peça de Jean Racine, ‘’Fedra’’, convidada por Fernanda Montenegro. Trabalhou com importantes diretores do teatro, entre os quais se destacam José Celso Martinez e Gerald Thomas. Estreou na TV Globo ainda naquele ano, convidada pelo diretor Roberto Talma para participar dos 16 primeiros capítulos da novela ‘’Mandala’’, como a protagonista Jocasta, na fase jovem. No ano seguinte, protagonizou a minissérie ‘’O Primo Basílio’’. Em seguida, participou da novela ‘’Que Rei Sou Eu? ‘’, de 1989. Dois anos depois, fez uma participação especial na telenovela ‘’Vamp’’. Em 1993 foi escalada para interpretar Linda Inês, a protagonista de ‘’Fera Ferida’’. Entre 1995 e 1996, esteve no elenco principal das séries ‘’A Comédia da Vida Privada’’ e ‘’A Vida Como Ela É’’, baseadas, respectivamente, nas crônicas de Luís Fernando Veríssimo e Nelson Rodrigues. Em 1998, protagonizou a minissérie ‘’Dona Flor e Seus Dois Maridos’’. Após dez anos sem participar de uma novela inteira, integrou o elenco de ‘’Mulheres Apaixonadas’’. Em 2005, atuou em ‘’Bang Bang’’. Participou dos primeiros capítulos de ‘’Eterna Magia’’. Em 2008, participou de ‘’A Favorita’’ . Em 2010, participou de ‘’Ti Ti Ti’’. Em 2012, interpretou a culta jornalista Laura Belize em ‘’Amor Eterno Amor’’. Em 2013, volta às novelas com uma vilã cômica, a decadente Bárbara Ellen em ‘’Sangue Bom’’. Em 2014, interpretou a vilã Carlota de ‘’Boogie Oogie’’, novela de Rui Vilhena. Giulia Gam já participou de 4 montagens de peças de William Shakespeare, sendo elas: Romeu e Julieta, Medida por Medida, Macbeth, Otelo.


Sobre Ricardo Bittencourt - ator

Iniciou sua carreira nos palcos aos 16 anos na Bahia com a peça ‘’Os Horacios e os Curiacios’’ de Bertold Brecht. Atuou em dezenas de espetáculos teatrais de diferentes autores, como Nelson Rodrigues, Samuel Becket, Strindberg, entre outros. Em 1989 fundou uma das mais bem-sucedidas companhias de Teatro da Bahia, ‘’Los Catedráticos’’, que permaneceu em cartaz, ininterruptamente, por mais de 15 anos. Na TV baiana, ganhou fama como apresentador do ‘’Em Off’’ e ‘’O Repórter’’. Em 2000, muda- se para SP para integrar a Cia do Teatro Oficina, onde permanece por 12 anos, encenando e atuando em inúmeras peças: Os Sertões, Bacantes, Rei da Vela, entre outras. Em 2010 esteve em cartaz com o monólogo “O Homem da Tarja Preta”, direção de Bete Coelho. Em 2015, estreou “Boca a Boca” no Instituto Camões, de Lisboa. Ao longo do tempo Ricardo se aprofundou na cultura teatral alemã, sobretudo, na cena teatral berlinense. Além de ator, também dirigiu inúmeros eventos, como Auto de Natal da Prefeitura de Salvador, shows de cantores e músicos já reconhecidos, trabalhou também como Mestre de Cerimônias e Apresentador de importantes eventos, como O Réveillon da Cidade, evento para mais de 500 mil pessoas, entre outros. Seu último trabalho como ator foi em outubro de 2019 em São Paulo na adaptação de Daniela Thomas para ‘’Mãe coragem e seus filhos’’ de Bertold Brecht.


Sobre Fioravante Almeida - ator

Fioravante iniciou sua carreira com Antunes Filho. Em 1997 integrou a Cia. Uzyna Uzona no Teatro Oficina e ao lado de Zé Celso participou de inúmeros espetáculos, como a celebrada adaptação de OS SERTÕES, onde seu trabalho foi reconhecido pela revista alemã Theaterheute. No cinema atuou em “A Montanha'', “Augusta”,“A Encarnação do Demônio” e “Doze trabalhos”. Já na televisão participou das séries “9mm”na FOX, “Descolados” na MTV além de novelas como “Tititi” da Globo e “Vende-se um Véu de noiva” SBT, “Cúmplices de um Resgate” SBT e a série “Garota da Moto”, da FOX em parceria com SBT. Em 2014 interpretou o monólogo “Muro de Arrimo”, de Carlos Queiroz Telles, que lhe rendeu o prêmio de Melhor Ator, a mesma foi gravada e transmitida pela TV Cultura, em janeiro de 2016. Em 2017/18 viaja o Brasil com o espetáculo ‘’Palhaços’’do qual também é idealizador. Em 2019, volta a TV participando das séries '’Segunda chamada’’(Rede Globo), ‘’Cidades invisiveis'’ e ‘’Samantha!’’ (Netflix).


Sobre Adão Filho - ator

Considerado um grande ator de nosso teatro, foi fundador na década de 80 do Boi Voador, ao lado de Alexandre Borges. Em 20 anos de teatro soma algumas protagonizações com os renomados diretores Marcelo Drummond, José Renato, Paulo Faria, Vagner Luís Alberto, José Celso Martinez Corrêa, Sérgio Ferrara e Ulysses Cruz.


PROGRAME-SE

Leitura online do espetáculo O JOGO (textos extraídos das peças teatrais de William Shakespeare), com adaptação de Carlos Queiroz Telles.

Direção: Marcelo Drummond

Elenco: Giulia Gam, Ricardo Bittencourt, Fioravante Almeida e Adão Filho

Quando: 23 de abril às 20h

Gratuito.

Onde: YouTube Teatro Oficina Uzyna Uzona TV UZYNA

AS MAIS LIDAS DA SEMANA...