"O CEGO E O LOUCO" RETORNA AOS PALCOS DE MODO PRESENCIAL E ONLINE

Dirigida por Gustavo Wabner, a peça é protagonizada por Alexandre Lino (Nestor) e Daniel Dias da Silva (Lázaro). Com trabalhos reconhecidos no teatro, cinema e televisão, pela primeira vez eles atuam juntos no palco.

zero8onze PhotoCine

No espetáculo, Nestor (Alexandre Lino) é um pintor cego, de personalidade forte, que, apesar da deficiência visual, domina o frágil e taciturno Lázaro (Daniel Dias da Silva), alguns anos mais jovem, com quem divide a solitária rotina em um apartamento decadente. Entre os dois se estabelece uma dinâmica própria, eventualmente perversa, em que o cuidado fraterno cede lugar ao rancor desenfreado, mas também com momentos e situações inusitadas e divertidas. Até que a chegada de Lúcia, uma encantadora vizinha que se mudou recentemente para o prédio, ameaça desestruturar essa relação. Eles a convidam para uma visita e é nessa noite de espera que a montagem se concentra, quando os traumas do passado dos irmãos vêm à tona, embalados por delírios, sonhos e culpas, levando a um final surpreendente.


Daniel Dias da Silva está com agenda cheia, na reta final dos ensaios da peça "De Perto, é Sempre Amor", com o grupo Teatro de Apartamento (Belém - PA), que estreia dia 21 de julho em versão online e os ensaios do espetáculo "Charles Aznavour - um Romance Inventado", com Sylvia Bandeira e Maurício Baduh, com estreia prevista para setembro. Ambos os textos são assinados por Saulo Sisnando. Além disso, ele também vai assinar a direção de uma montagem de "Ensaio Sobre a Perda", de Herton Gustavo Gratto, em Portugal, a peça deve estrear e circular pelo país a partir do final do segundo semestre, com um ator brasileiro e um ator português no elenco.


Alexandre Lino, que já viveu um deficiente visual no espetáculo “Asilo Paraíso” e dirigiu “Volúpia da Cegueira”, com atores cegos no elenco, tem intimidade com o tema e, para ele, a volta aos palcos é motivo de celebração. Após lotar os teatros com Valdisnei, o simples e intrometido protagonista da comédia "O Porteiro", ele decidiu levar o personagem para a Internet, em divertidas lives, mas garante que voltar com "O Cego e o Louco" tem um sabor especial.


O diretor Gustavo Wabner também está vibrando com o retorno. Ele, que tem no currículo as montagens de “Navalha na Carne”, de Plínio Marcos - em que a atriz Luisa Thiré homenageava a avó Tonia Carrero - e da comédia “Sylvia“, de A. R. Gurney, lembra que a sessão vai respeitar o protocolo da pandemia .


LUNÁTICA COMPANHIA DE TEATRO e TERRITÓRIOS PRODUÇÕES ARTÍSTICAS - Realização

A Territórios Produções Artísticas, fundada por Daniel Dias da Silva e Gustavo Falcão (“Mulher Oceano”, “Cine Holliúdy”, “Aos teus Olhos”, “A Máquina”, “Carceireiros”, “Aruanas”) tem se destacado por trazer aos palcos, elogiadas montagens, a maioria em parceria com a Lunática Companhia de Teatro, como “Matador” (2012), texto do premiado autor venezuelano Rodolfo Santana. Herson Capri e Susana Garcia assinaram a direção do espetáculo, que circulou pelo Nordeste e, no Rio de Janeiro, tendo sido considerada uma das melhores em cartaz pela revista VEJA, além de participar da FITA 2014 – Festa Internacional do Teatro de Angra dos Reis, onde foi indicada ao Prêmio de Melhor Cenografia e Prêmio Especial do Júri pela Direção de Movimento assinado por Sueli Guerra.


Em 2016, a produtora realizou o seu segundo trabalho em parceria com a Lunática Companhia de Teatro, “Esse Vazio”, com texto do argentino Juan Pablo Gómez. Foram três temporadas no Rio de Janeiro, sob direção do premiado Sergio Módena. Posteriormente, a peça circulou pelo estado, com apoio do Sesc-Rio e fez temporada em Fortaleza (CE). Em 2017, a produtora e a Companhia estrearam, pela primeira vez no Brasil, “O Princípio de Arquimedes”, texto do premiado autor catalão Josep Maria Miró, arrebatando o público e a crítica. A atriz Helena Varvaki foi indicada ao Prêmio Botequim Cultural de Melhor Atriz na categoria Drama / Comédia. A direção foi de Daniel Dias da Silva. Em 2019, um novo sucesso no currículo, a peça “O Cego e o Louco”, de Claudia Barral estreou no Sesc Copacabana, com todas as sessões esgotadas.


QUEM FAZ

Texto: Claudia Barral

Direção: Gustavo Wabner

Elenco: Alexandre Lino e Daniel Dias da Silva

Figurino: Victor Guedes

Cenografia: Sergio Marimba

Iluminação: Mantovaniluz

Trilha Sonora: Tibor Fittel

Direção de Movimento/ Coreografia: Sueli Guerra

Direção de palco: Renato Rodolfo

Estagiária de Direção: Juliana Thiré

Design Gráfico: Gamba Jr.

Produção Executiva: Bruno Jahu

Assessoria de Imprensa: Bernadete Duarte

Direção de Produção: Daniel Dias da Silva

Realização: Territórios Produções Artísticas e Lunática Companhia de Teatro.


PROGRAME-SE

"O Cego e o Louco"

Datas: 12 de agosto a 02 de setembro de 2021

Horário: Quintas-feiras às 19h

Ingressos: R$ 25,00 (meia) / R$ 50,00 (inteira)

Local: Teatro Petragold Endereço: Rua Conde de Bernadotte, 26 – Leblon – Rio de Janeiro (RJ) Informações: (21) 2529-7700

Venda de ingressos: www.teatropetragold.com.br

Classificação indicativa: 12 anos

Duração: 60min

Gênero: Comédia Dramática

Lotação presencial (reduzida a 10% da capacidade do teatro): 40 lugares

Exibição online ao vivo através do Sympla Streaming

1/3