top of page

NO DF, INSTITUIÇÃO DE ACOLHIMENTO A PESSOAS LGBTQIAP+ OFERECE CURSOS GRATUITOS

Projeto educacional visa formar pessoas nas áreas de Corte e Costura e em Tecnólogo de Som e Luz Cênica

Ambos os cursos, gratuitos e de longa duração, serão oferecidos nas dependências da Casa Rosa, em Sobradinho 1, nos meses de março, abril e maio. O período de inscrições será entre os dias 3 e 19 de março e têm prioridade pessoas LGBTQIAP+, que já atingiram a maioridade, moradoras do DF e Entorno e em situação de vulnerabilidade.

A Casa Rosa é um espaço que atua em favor do acolhimento e reinserção social assim como no mercado de trabalho de pessoas LGBTQIAP+ (adultas), em situação de vulnerabilidade. A Casa fica em Sobradinho 1 e atende moradoras e moradores do DF e Entorno.

Mantida por doações de pessoas físicas e parcerias com o setor privado, a instituição firma neste ano de 2023, pela primeira vez, parcerias com órgãos governamentais e gabinetes de parlamentares. Todas as atividades promovidas pela Casa Rosa são gratuitas e conduzidas por um corpo coeso de cerca de 30 voluntários e voluntárias.

Os e as profissionais, que dedicam tempo e conhecimento, com o intuito de promover a melhoria na qualidade de vida e emancipação das pessoas (atendidas pela instituição), são advogados/as, psicólogas/os, artistas, terapeutas ocupacionais, produtores/as culturais, profissionais liberais e da saúde, auxiliares de serviços gerais, dentre outras e outros.

Sobre as pessoas que procuram a Casa Rosa, Marcos Tavares, idealizador e presidente, relata que elas chegam bastante fragilizadas, “com vínculos afetivos e familiares rompidos, com distintas formas de lidar com a orientação sexual, algumas delas sem ter onde morar e desempregadas”.

Dado esse perfil de público, os serviços oferecidos e trabalhos desenvolvidos no espaço requer dos e das profissionais voluntários empatia, compreensão e afeto, “aqui, nós prezamos pela liberdade individual e a privacidade, com respeito aos costumes, às tradições e à diversidade de ciclos de vida como arranjos familiares, raça e etnia, religião, gênero e orientação sexual”, comenta Marcos.

Para bem acolher essa população, o corpo de voluntários ministra oficinas e cursos formativos, oferece acolhimento psicológico e social, orienta acerca de assuntos jurídicos, encaminha para as redes públicas de saúde e educacional, dentre outros atendimentos. Um dos principais é a distribuição de cestas básicas. Só em 2022, mais de 200 indivíduos e famílias foram atendidos.

Mais que socioassistencial, a Casa Rosa se abre a essa comunidade em específico como um espaço de arte e cultura, com a promoção de cursos profissionalizantes nessas áreas e a realização de eventos. Outras ações formativas abrangem panificação, culinária e estética (cabelo e maquiagem).

Desde a sua fundação, em 2018, a Casa Rosa vem passando por transformações na sua estrutura física, com a ampliação do espaço, e na qualidade e quantidade dos serviços prestados.

Hoje, com a capacidade de receber 20 pessoas por mês, entre residentes e de passagem, o espaço conta com quartos compartilhados, salas de tevê, estar e acolhimento, cozinha, banheiros, lavanderia e área para cursos e eventos. Com a construção do segundo piso, ainda em andamento, “teremos mais quartos, salas para cursos e biblioteca”, adianta Marcos. O início da obra foi custeado pela Embaixada da Irlanda.

E para ocupar os espaços, a Casa Rosa segue de portas abertas para receber novos/as voluntários/as e doações em dinheiro. “Os profissionais que mais temos urgência são os da saúde, psiquiatras, enfermeiros/as, dentistas”, cita Tavares. Interessados em somar e contribuir, podem entrar em contato via Instagram - www.instagram.com/casarosadf.

O estímulo para criar a Casa Rosa tem raízes na história de vida de Marcos, “testemunhei amigues sendo expulses de seus domicílios, ao se assumirem homossexuais, ou mesmo se vendo sem o amparo de seus/suas companheiros/as, fragilidade que leva alguns a atentar contra a própria vida”, recorda Marcos. Sobre o desejo por trás da idealização, está a expectativa de que “todes se sintam bem e em casa, que seja um espaço coletivo cada vez mais acolhedor, e nossa motivação diária é ‘fazer o bem sem olhar a quem’”, ressalta.

Para este ano que se inicia, Marcos anuncia que será o da ‘capacitação’. “Seguimos com o nosso desejo de gerar novas possibilidades, e a gente sabe que só por meio da educação, da formação, que vêm melhorias na vida de cada um e cada uma”, avalia o presidente.

Nessa toada, a Casa Rosa abre inscrições para 40 vagas, destinadas à comunidade LGBTQIAP+, em cursos de Corte e Costura e de Formação Técnica em Som e Luz Cênica. Ambos os cursos, gratuitos e de aproximadamente 50 horas cada, serão realizados nos meses de março, abril e maio.

O projeto inaugural do calendário de atividades formativas e educacionais de 2023 tem como nome “Transformando Vidas”. Para Raphael Veiga, voluntário e parceiro da Casa Rosa, “nosso desejo é empoderá-las e estimular a sua inserção no mercado de trabalho ou que queiram incrementar sua renda, uma vez que temos uma grande luta pela inclusão e por mais respeito, nesse Brasil que mais mata pessoas LGBT no mundo”, enfatiza Veiga.

Podem se inscrever pessoas LGBTQIAP+ maiores de 18 anos, assistidas ou não pela Casa Rosa, independente de gênero, etnia, raça, cor e credo religioso. Pessoas que estejam em situação de vulnerabilidade e fragilidade financeira têm prioridade. Interessades devem acessar www.instagram.com/casarosadf ou entrar em contato pelo WhatsApp (61) 9.8377-3153, com Danielly, para se inscrever entre 3 e 19 de março.

Os cursos serão realizados na Casa Rosa, que fica em Sobradinho 1, Quadra 17, Conjunto A, Casa 45. O espaço atende a todas as regras de acessibilidade. Alunas, Alunos e Alunes receberam todo o material necessário para atender aos cursos e serão oferecidas refeições e passe livre para locomoção em transporte público.

O projeto é realizado através do Termo de Fomento (MROSC N.º 109/2022), por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal e a Organização da Sociedade Civil Casa Rosa Cultural e Assistencial - LGBT.

Inscrições para os cursos:

https://forms.gle/tYY6xyVQJ5c1JZdC6, de Corte e Costura; e https://forms.gle/nTu92gVnY9rUh6aGA, para o de Técnico de Som e Luz Cênica; ou via WhatsApp (61) 9.8377-3153, com Danielly

Período: de 3 a 19 de março de 2023

Divulgação de aprovades: 21 de março de 2023

Podem se inscrever: pessoas LGBTQIAP+ maiores de 18 anos, em situação de vulnerabilidade social e residentes no DF ou Entorno

Cronograma dos cursos:

Técnico de Som e Luz Cênica. Uma turma com 20 vagas

Dias: 25 e 26, de março, 1º, 02, 15, 16, 29 e 30, de abril, e 06, 07, 13, 14, 20, 21, 27 e 28, de maio

Horário: sábados e domingos, das 09h às 16h, com intervalo uma hora para o almoço

Corte e Costura. Duas turmas, com 20 vagas no total

Dias: 27, 29 e 31, de março, 03, 05, 10, 12, 14, 17, 19, 24, 26 e 28, de abril, e 03, 05, 08, 10, 12, 15, 17, 19, 22, 24 e 26, de maio

Horário: segundas, quartas e sextas, turma 1: das 15h às 17h; e turma 2: das 18h às 20h

Local: Casa Rosa

Endereço: Sobradinho 1, Quadra 17, Conjunto A, Casa 45

Comments


bottom of page