NA TERÇA E NA QUINTA-FEIRA TEM "UMA CRIATURA DÓCIL" NO SESC GARAGEM

Nos dias 26 e 28 de outubro de 2021, a Companhia de Teatro OSDRAMÁTIKOS leva aos palcos o espetáculo “Uma Criatura Dócil”, numa homenagem ao bicentenário de Dostoiévski.

Arte sobre fotos de Mari Matos

A Companhia de Teatro OSDRAMÁTIKOS leva para o palco nos dias 26 e 28 de outubro de 2021, homenageando o autor em seu bicentenário através da leitura dramatizada de “Uma Criatura Dócil”, texto baseado na novela homônima de 1876. O próprio monólogo, adaptado pela escritora Claudine M. D. Duarte, é infringido pela opção de três atores interpretarem o mesmo personagem e sua “arte de falar em silêncio”.


Na obra, após a morte da mulher, o marido atormentado rememora fatos, crimes e pecados; pequenos detalhes são revelados no desespero do personagem masculino, mostrando nuances, fragmentos de ciúme, prepotência, covardia, incompreensão e a angústia pela impossibilidade de comunicação entre o casal.


“Uma Criatura Dócil” é uma tragédia do silêncio. Neste 2021, segundo ano de pandemia, o espetáculo visa provocar o público com a discussão sobre essência e humanidade: pactos de silêncio, dores da solidão, afastamentos involuntários, ausência de abraços e relações fragmentadas.


Em cena, Léo Gomes, André Araújo e Abaetê Queiroz amparam o personagem: ambivalente, enigmático e ressentido, em sua busca por entendimento e redenção. No palco, a polifonia de Dostoiévski ganha corpo, luz, movimento e, principalmente, a multiplicidade de vozes requeridas pela trama.


Entre os gêneros literários possíveis para a execução da arte da palavra, Dostoiévski opta pelo romance, transformando-se em um dos maiores do seu tempo e da história da literatura. O escritor leva o público para o cotidiano da "gente pobre", dos "humilhados e ofendidos", dos homens e mulheres "do subsolo", não apenas no sentido real - realista/naturalista - e social, mas também no sentido psicológico, e até mesmo religioso, das proposições. A miséria e a perdição percorrem corpos, almas e tecidos sociais e são confrontadas pela reflexão, pela consciência e por uma tênue esperança nos valores do amor e da beleza.


Em 2016, Claudine dirigiu a primeira montagem do monólogo com o ator Arthur Tadeu Curado. A trilha original do espetáculo, de Guilherme Cobelo e Lucas Muniz, está sendo resgatada para as leituras dramatizadas no SESC Garagem, na 913 sul, em Brasília, dentro do projeto SESC ESTÚDIO. Nas duas próximas apresentações, a verdade que sairá da boca do narrador pelas vozes de Abaetê, André e Léo fará com que o público se torne cúmplice da verdade das relações humanas.


PROGRAME-SE

Uma Criatura Dócil

De Fiódor M. Dostoiévski

Adaptação de Claudine M. D. Duarte

Com Abaetê Queiroz, André Araújo e Léo Gomes - OS DRAMÁTIKOS


26 e 28 de outubro de 2021

SESC Garagem – 20h

Ingressos a R$20 e R$10 via Sympla. Há também a opção de pagamento via PIX no próprio teatro.

Será exigido passaporte de vacinação completo.


QUEM FAZ

Trilha sonora: Guilherme Cobelo e Lucas Muniz

Captação: Miá Filmes

Backstage: Rodrigo Lelis

Assessoria de Imprensa: Josuel Junior

Fotos e Mídias Sociais: Mari Mattos

Produção: Guinada Produções / Guilherme Angelim

Apoio:

SESC DF / SESC Estudio

BIG BOX Supermercados

MARIA COBOGÓ Coletivo Editorial

*No dia 11 de novembro de 2021, no canal do youtube do SESC DF, será veiculado um vídeo comemorativo do bicentenário do escritor russo Fiódor M. Dostoiévski. Trata-se da contrapartida do espetáculo Uma Criatura Dócil aprovada pela curadoria do projeto Sesc Estudio. No vídeo intitulado “Dostoiévski em Várias Vozes”, conteúdo audiovisual produzido por oito artistas e escritoras, Abaetê Queiroz, Léo Gomes, André Araújo, Marcia Zarur, Claudine Duarte, Christiane Nóbrega, Solange Cianni e Ana Maria Lopes, com textos selecionados pela professora de Literatura Eva Leones.

AS MAIS LIDAS DA SEMANA...