MORRE EM BRASÍLIA O DIRETOR DE TEATRO HUGO RODAS

O artista estava internado há uma semana e não resistiu às complicações de um AVC após tratamento contra o câncer. A morte foi confirmada a pouco.

Diversos artistas de Brasília tiverama oportunidade de trabalhar com Hugo Rodas - Reprodução da internet

Hugo Renato Giusto Rodas, conhecido como Hugo Rodas, (Juan Lacaze, 27 de maio de 1939) foi um importante diretor de teatro uruguaio estabelecido no Brasil.


Ao longo dos anos, foi ator, figurinista, coreógrafo e professor de teatro na Universidade de Brasília (UnB) e na Faculdade de Artes Dulcina de Moraes. Fixou residência em Brasília em 1975, onde tem realizado seus trabalhos. Seus mais recentes trabalhos fora da capital federal têm sido com Antonio Abujamra e Denise Stoklos. Realizou coreografias para os primeiros shows de Oswaldo Montenegro.


Nascido no Uruguai e radicado no Brasil Hugo Rodas firmou-se como um dos mais talentosos e importantes artistas de teatro de seu tempo, como ator, diretor, bailarino, coreógrafo, cenógrafo, figurinista e professor de teatro. Sua trajetória sempre esteve e está ligada aos coletivos e parcerias com os quais trabalha, desde o Grupo Pitú, nas décadas de 70, e de 80 – quando também ocorrem as primeiras experiências com Antônio Abujamra, no Teatro Brasileiro de Comédia (TBC), e com José Celso Martinez Corrêa, no Teatro Oficina – passando pelo Teatro Universitário Candango (TUCAN), nos anos 90 e 2000, assim como pela Companhia dos Sonhos. E atualmente, na Agrupação Teatral Amacaca (ATA), sua mais recente trupe.


Alguns dos maiores sucessos de público e crítica da história do teatro e da dança de Brasília trazem sua assinatura. Para citar alguns: Senhora dos afogados (1987), A casa de Bernarda Alba (1988/91), A menina dos olhos (1990/91), Romeu e Julieta (1993/99), O olho da fechadura (1994/95), The Globe Circus (1997), Shakespeare in concert (1997), Arlequim: servidor de dois patrões (2001/02), Rosanegra – uma Saga Sertaneja (2002/05), O rinoceronte (2005/2006) além do memorável Adubo ou a sutil arte de escoar pelo ralo (2005-2015).

Na Facauldade Dulcina, dirigiu em 2010 a comédia "O Inspetor Geral" - Foto de Thiago Sabino

Dirigiu e encenou espetáculos em várias outras cidades brasileiras tendo como parceiros de criação nomes de destaque na cena nacional entre eles Antônio Abujamra, codirigindo os espetáculos Lady Macbeth (2007), com Marília Gabriela; Cantadas (2007), monólogo de Denise Stocklos; e Os Demônios (2007).


Recebeu inúmeros prêmios por suas criações, com destaque para o Prêmio do Serviço Nacional do Teatro (1977) de melhor espetáculo infantil para o antológico Os Saltimbancos e o Prêmio Shell (1997) pela Direção do espetáculo Dorotéia, ao lado de Adriano e Fernando Guimarães. É Comendador e Oficial da Ordem do Mérito Cultural de Brasília (1991 e 1992), assim como Cidadão Honorário de Brasília (2000), tendo sido os três títulos concedidos pelo Governo do DF. Recebeu também o títulos de Notório Saber em Artes Cênicas (1998) e, recentemente, em 2014, o de Professor Emérito, ambos pela Universidade de Brasília, instituição na qual foi docente do Departamento de Artes Cênicas durante mais de 20 anos, e hoje atua como professor-pesquisador.

"Os Saltimbancos" foi um dos últimos grandes trabalhos dirigidos pelo artista - Foto de Diego Bresani

Sempre em busca de inovação, Hugo é um alicerce incontestável na construção da cena teatral e cultural contemporânea de Brasília, sendo referência mundial para a pesquisa da linguagem teatral. Inquieto e inspirado pela sua juventude, permanece no ambiente universitário dedicando-se à formação, investigação e criação artística, de onde surge a ATA – Agrupação Teatral Amacaca.


O artista travava uma luta contra um câncer no fígado. No dia 02 de abril, sofreu um AVC e foi internado. Nos últimos dias, esteve sedado, até a informação do óbito.


Hugo Rodas morreu nesta quarta-feira, dia 13 de abril de 2022, por volta das 16h30, no Hospital Brasília e deixa para a capital e para o Brasil a força do teatro por meio de tantos artistas que passaram por sua direção e tantas obras que provocaram o público de diferentes gerações.


Segundo informações de artistas da cidade, haverá uma cerimônia de despedida no Espaço Cultural Renato Russo, o que ainda não foi oficialmente confirmado. Caso haja nova atualização, acrescentaremos a informação na matéria.

"¡Eso és teatro, mi amor!" - Reprodução da Internet

O Portal Conteúdo lamenta e aplaude a trajetória desse professor de tantos artistas.


AS MAIS LIDAS DA SEMANA...