MEMORIAL DOS POVOS INDÍGENAS RECEBE EXPOSIÇÃO "BRASIL KRAHÔ - FILHOS DO CERRADO"

Trabalho do fotojornalista Leopoldo Silva fica aberto a visitação de 5 de maio até 12 de junho.

Foto: Leopoldo Silva

A partir de 5 de maio, o Memorial dos Povos Indígenas recebe a exposição fotográfica Brasil Krahô – Filhos do Cerrado do fotojornalista Leopoldo Silva. O trabalho, que conta com 75 fotografias inéditas realizadas entre os anos de 2010 e 2018, traz elementos da cultura indígena e fortalece a existência de povos originários.


O trabalho do fotógrafo foi acompanhar de perto a comunidade Krahô, que vive no nordeste do estado do Tocantins, na Amazônia Legal do Brasil, na Terra Indígena Kraholândia, em uma área de cerrado preservado. Com cerca de 3.000 pessoas dispostas em 25 aldeias, praticam o extrativismo, a agricultura familiar e, principalmente, enaltecem a própria cultura. Como herdeiros de culturas milenares, defendem a natureza viva, nativa e soberana.

As imagens revelam o dia a dia, as festas, as comemorações, tradições culturais, e também traços da personalidade desse povo. As lentes trazem um olhar íntimo da convivência da comunidade. Um dos aspectos retratados são os mais elaborados rituais e manifestações artísticas dos Krahô como canto vocal, utilização de instrumentos percussivos, elaboração adornos e utensílios com o uso da palha de buriti, sementes e miçangas, a prática de esportes e atividades físicas como a corrida de toras. Além dos momentos de preparo de alimentos, cortes de cabelo e ritos de passagem da comunidade.

De acordo com o fotógrafo Leopoldo Silva, expor a beleza e a simplicidade dos Krahôs para que o mundo os conheça e admire, é um caminho para valorização, voz, inclusão e respeito dos povos indígenas. Em sua visão, para chegarmos nesse ponto de convivência como sociedade é preciso estreitar os laços para desmistificar os preconceitos.

A exposição contou com a curadoria e produção da antropóloga e produtora cultural Verônica L. O. Maia, que acompanhou o fotógrafo nas viagens à Terra Indígena Kraolândia durante os últimos três anos da captação das imagens. A antropóloga, que também foi batizada na aldeia, conta que esse trabalho de aproximação dos indígenas e de essa convivência fez parte do nascimento do projeto.


Patrocinada pelo pelo Fundo de Arte e Cultura (FAC) da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal, a mostra é composta pelas fotos impressas e com audiodescrição das imagens disponibilizadas no site da exposição na Internet. Para acessar os áudios serão disponibilizados códigos QR no museu.


Todas as imagens e quadros da exposição estarão disponíveis para a compra e a terça parte dos recursos de cada imagem é destinada aos indígenas fotografados.

Sobre o autor

Leopoldo Silva é um fotógrafo brasiliense com mais de 30 anos de experiência profissional como repórter fotográfico atuando nos principais jornais, revistas e agências de notícias do Brasil. Em seu trabalho artístico dedica-se à cultura e à natureza. Tornou-se amigo dos Krahô em 2010, desde então os fotografa com a motivação de despertar nossos olhares para o patrimônio humano e para as culturas originárias do Brasil. Em 2015 tornou-se “Ipantú”, um Krahô honorífico. Ganhou nome e família na aldeia Manoel Alves e agora faz parte do universo Krahô. Com um estilo clássico e imagens puras, buscou focalizar o belo em cenas cotidianas e valorizar a cultura dos povos originários do Brasil. A exposição Brasil Krahô é um memorial imagético do amor do fotógrafo pelos Krahô.

PROGRAME-SE

Exposição fotográfica Brasil Krahô – Filhos do Cerrado

De 5 de maio a 12 de junho

De terça a domingo das 9h às 17h

Local: Memorial dos Povos Indígenas, Zona Cívico-Administrativa (Em frente ao Memorial JK) Plano Piloto, Brasília – DF

Entrada gratuita

Saiba mais: https://www.expobrasilkraho.com.br/

AS MAIS LIDAS DA SEMANA...