MARCOS ALVISI DIRIGE "O DOENTE IMAGINÁRIO", DE MOLIÉRE

Para marcar 400 anos do nascimento de Molière, Marcus Alvisi dirige grupo de atores para encenar uma das peças mais emblemáticas do autor.

Foto: Gil Durão

Moliére, um dos maiores dramaturgos de todos os tempos, consagrado como um dos mestres da comédia satírica, utilizava suas obras para retratar e criticar os costumes da sociedade tratando de temas relacionados aos grandes defeitos e virtudes humanas, o que faz com que sua dramaturgia pulse até os dias de hoje.


Os tão familiares três sinais que anunciam o começo dos espetáculos tiveram origem nas icônicas “pancadas de Molière”. Ao ouvir o som das batidas secas no chão, o público era convidado a silenciar e assistir à realidade a partir do olhar mágico do teatro.


Às vésperas do aniversário de 400 anos do nascimento de Molière e após tanto tempo afastados desse olhar, evocar essas batidas se tornou inadiável.

A peça conta a história de Argan, um velho hipocondrí­aco que em desespero com tantas despesas médicas, deseja a qualquer custo casar sua filha com um médico, filho de médico e sobrinho de médico. Entretanto, para o deses­pero do pai, Angélica se apaixona por Cleanto, jovem simples que não tem nada a ver com a medicina. Enquanto isso, Belinha, mulher de Argan e madrasta de Angélica, insiste para que a jovem seja colocada em um convento. Diante disso, Nieta, a criada, e Beraldo, irmão de Argan, tramam um plano para que tudo seja resolvido.

Marcus Alvisi sobre o Teatro de Brinquedo do Novo Milênio:

“Tive a ideia de criar um grupo que dialogasse com as ideias desse teatro superlativo, feito na década 1920. Junto com um grupo de amigos composto por gente certa de noções certas, pretendemos desenvolver um teatro de repertório dando ênfase aos grandes dramaturgos.


Tratamos a obra com intimidade, sem nenhuma formalidade. Molière, neste processo de trabalho, se tornou nosso amigo. Toda a poeira que ronda a sua obra, nós queremos espanar. Para nós ele não é um clássico mas sim um autor atemporal que conserva a mesma potência hoje, como teve 400 anos atrás.“


Os atores e produtores Yonn Levy, Natália Horochovski e Carlos Marinho completam: “Um dia estávamos conversando com nosso diretor, Marcus Alvisi, e ele disse: “O teatro se faz com sangue, lágrimas e suor”. Sabemos que fazer teatro, certamente, não é uma das coisas mais encorajadas em nossa sociedade. No entanto, o que mais intriga em suas palavras não são os problemas que nos convidam a desistir, mas aquilo que nos move a continuar: o amor pelo teatro.


Formado em interpretação e em direção teatral pela Universidade do Rio de Janeiro (Uni-Rio), Marcus Alvisi soma mais de 40 anos de experiência no teatro e na televisão. Estreou como ator na peça "Titus Andronicus" de William Shakespeare no Teatro Ipanema, em 1974, e seu primeiro trabalho como diretor teatral foi “Solidão - A Comédia” de Vicente Pereira, protagonizado por Diogo Vilela, em 1991, recebendo os prêmios Apetesp e Shell de melhor espetáculo. Em 1997, novamente com Diogo Vilela, dirigiu Diário de Um Louco, de Nikolai Gogol, tendo recebido os prêmios Shell e Mambembe de melhor espetáculo. Alvisi também é professor de interpretação e encenação na Faculdade CAL de Artes Cênicas - Instituto Cal de Arte e Cultura.

QUEM FAZ

Texto: Molière

Direção: Marcus Alvisi

Tradução e Adaptação: João Bethencourt

Direção de Arte, Cenografia e Figurinos: Ronald Teixeira

Elenco: Carlos Marinho, Duda Romanhol, Lucas Garbois, Ludmila Horochovski, Luiz Furlanetto, Murilo Carrão, Natália Horochovski, Rafael Ayres, Vitor Pastore e Yonn Levy

Assistente de Direção: Vitor Pastore

Iluminação: Carlos Lafert

Trilha Sonora: Marcus Alvisi e Tiago Fonseca

Operador de Som: Tiago Fonseca

Coreografia: Soraya Bastos

Cenógrafos Assistentes: Caroline Amaral e Marcio Rosa

Pintura de Arte e Colagens: Letícia Ponzi

Adereços e Cenotécnica: Gabriel Barros

Costura dos figurinos: Liza Machado

Arte Gráfica: Rafael Ayres

Fotografias: Julia Johnsson

Produção Executiva: Carlos Marinho, Natália Horochovski e Yonn Levy

PROGRAME-SE

‘O Doente Imaginário’ de Molière

Teatro Candido Mendes-Rua Joana Angélica, 63-Ipanema (21) 96803-1047

De 02 a 31 de outubro - Sextas, sábados e domingos às 20 horas.

Valor dos ingressos: R$60,00 (inteira) e R$30,00 (meia-entrada)

Gênero: Comédia

Formato: Presencial

Duração: 90 minutos

Classificacão etária: 14 anos

Link para Vendas: https://bileto.sympla.com.br/event/69074/d/109735

Seguindo as recomendações e medidas anunciadas recentemente pelos órgãos públicos e de saúde da nossa cidade, as salas de teatro estão autorizadas a retornarem com suas atividades com as restrições: Funcionamento com capacidade reduzida, seguindo as medidas de higienização entre as sessões; uso obrigatório de máscara; distanciamento social e aferição de temperatura.


AS MAIS LIDAS DA SEMANA...