"MAGOTE" SE APRESENTA GRATUITAMENTE EM ARENAS CULTURAIS DO RIO DE JANEIRO

Grupo Monjuá mistura circo, dança, performance e acrobacia em espetáculo sobre a importância da coletividade.

Foto: Caiano Midam

De 05 a 17 de julho, o grupo Monjuá irá circular com o espetáculo inédito Magote, passando pela Arena Chacrinha, em Pedra de Guaratiba (05/07), Arena Dicró, na Penha (09/07 e 10/07) e pelo Centro Coreográfico, na Tijuca (15, 16 e 17/07). As apresentações serão gratuitas e acompanhadas de oficinas circenses no mesmo dia. Em todas as unidades haverá pelo menos uma sessão com intérprete de LIBRAS.

Magote é um substantivo masculino que significa o ajuntamento de pessoas ou coisas; bando, multidão, amontado, porção. É isso que acontece no espetáculo dirigido por Fábio Freitas: o encontro de seis artistas acrobatas, malabaristas, bailarinos, performances, cômicos e circenses que - por meio de técnicas e ludicidade - unem seus corpos em cena para formar imagens divertidas que vão desde um organismo microscópico, uma colônia de células, o movimento orbital de planetas no espaço e até o trânsito das grandes metrópoles. Essas imagens estruturadas pela acrobacia de solo, parada de mão e acompanhadas de malabarismos trazem uma importante reflexão: até onde podemos chegar se o investimento for coletivo, a escuta for exercitada e as individualidades forem potencializadas?

O grupo Monjuá nasceu em setembro de 2019 a partir do desejo de seus integrantes de realizar novas parcerias que permitissem a experimentação e a mescla de linguagens: circo, acrobacia, dança e performance. Em março de 2020, a estreia do espetáculo Magote teve que ser adiada por tempo indeterminado em função da pandemia de COVID. Em abril de 2021, o grupo adaptou a criação para o ambiente virtual onde cumpriu uma curta temporada com apoio da Lei Aldir Blanc. Em julho de 2022 finalmente acontecerá a estreia em palcos cariocas e de forma presencial, por meio do patrocínio do Edital de Fomento à Cultura Carioca - FOCA, da Prefeitura do Rio de Janeiro.

Oficinas

As oficinas gratuitas oferecidas pelo grupo trabalham com fundamentos e técnicas do circo associadas aos aspectos subjetivos presentes no espetáculo e em nosso cotidiano: o risco, o medo, a cooperação, a confiança, a superação e a celebração. Para participar, basta comparecer aos locais de realização e seguir a classificação indicativa descrita na programação abaixo.

CIRCULAÇÃO MAGOTE

Quando: De 05/07 a 17/07

Ingresso: Gratuito

Duração: 60 minutos

Faixa etária: livre


PROGRAME-SE

DIA 05/07 – Arena Chacrinha, Pedra de Guaratiba

Espetáculo: às 15h (com intérprete de LIBRAS e bate-papo após a apresentação)

Endereço: Rua: Sd. Elizeu Hipólito, s/n - Pedra de Guaratiba

**Oficina: Do risco ao riso

Hora: às 10h

Público-alvo: de 12 a 17 anos

DIA 09/07 – Arena Dicró, Penha

Espetáculo: às 19h (bate-papo após a apresentação)

Endereço: Rua: Flora Lôbo, 184 - Penha Circular.

**Oficina: Do risco ao riso

Hora: às 10h

Público-alvo: de 12 a 17 anos

DIA 10/07 – Arena Dicró, Penha

Espetáculo: às 18h (com intérprete de LIBRAS)

Endereço: Rua: Flora Lôbo, 184 - Penha Circular.

Oficina: Circo na área

Hora: às 10h

Público-alvo: jovens e adultos a partir de 12 anos.

DIA 15/07 – CCO, Tijuca

Espetáculo: às 19h (bate-papo após a apresentação)

Endereço: José Higino, 115 – Tijuca.

Oficina: Construindo Magote

Hora: às 10h

Público-alvo: jovens e adultos estudantes de artes a partir de 15 anos.

DIA 16/07 – CCO, Tijuca

Espetáculo: às 19h

Endereço: Rua: José Higino, 115 – Tijuca.

**Oficina: Construindo Magote

Hora: às 10h

Público-alvo: Jovens e adultos estudantes de artes a partir de 15 anos.

DIA 17/07 – CCO, Tijuca

Espetáculo: às 19h (com intérprete de LIBRAS)

Endereço: Rua: José Higino, 115 – Tijuca.

**Oficina: Circo na área.

Hora: às 10h

Público-alvo: jovens e adultos a partir de 12.

Sinopse

Seis artistas acrobatas, malabaristas, bailarinos, performances, cômicos e circenses que - por meio de técnicas e ludicidade - unem seus corpos em cena para formar imagens divertidas que vão desde um organismo microscópico, uma colônia de células, o movimento orbital de planetas no espaço e até o trânsito das grandes metrópoles. Essas ilustrações estruturadas pela acrobacia de solo, parada de mão e acompanhadas de malabarismos trazem uma importante reflexão: até onde podemos chegar se o investimento for coletivo, a escuta for exercitada e as individualidades forem potencializadas?

QUEM FAZ

Coordenação de Projeto: Helena Heyzer e Guilherme Gomes

Produção Executiva: Cida de Souza

Direção Artística: Fábio Freitas

Elenco: Ana Luiza Gonçalves, Danilo Alexandre, Fernando Nicolini, Guilherme Gomes, Helena Heyzer e Vinícius Paranhos

Figurino: Nayana Sara

Costureira: Rose Ramos

Iluminador: Dodô Giovanetti

Técnico de Som: Arthur Costa

Designer gráfico: Diogo Monteiro

Fotografia: Caiano Midam

Audiovisual: Vipassa

Intérprete de Libras: Diana Dantas

Assessoria Imprensa: Lyvia Rodrigues

Realização: Grupo Monjuá

AS MAIS LIDAS DA SEMANA...