"MADAME E A FACA CEGA" - NOVA PEÇA DA NOSSA COMPANHIA

O espetáculo Madame e a Faca Cega é o novo trabalho da Nossa Companhia, que estará em temporada online de 29 de abril a 2 de maio. Esta é a primeira dramaturgia de Tatiana e foi livremente inspirada em um trecho do livro Os Componentes da Banda, de Adélia Prado.

Foto: João Valério

No espetáculo, a personagem Vera - vivida por Alexandra - vai gravar seu programa de culinária, como de costume. Mas, desta vez, Madame atormenta seus pensamentos. “Madame é representação de todas as madames que vivem a realidade do Instagram, que utilizam canudinhos reutilizáveis, que têm discursos feministas sempre na ponta da língua e que ajudam todas as outras mulheres a entenderem que essa vida não é real, que não há vida perfeita”, conta a dramaturga.


O texto aborda, ainda, relacionamentos tóxicos e abusivos e mostra a libertação catártica de Vera quando ela identifica seu verdadeiro algoz. “Falamos sob a ótica de relacionamentos homossexuais, mas não abordamos orientação e gênero. Os relacionamentos são universais. A ideia não é fazer uma peça sobre um universo específico, e sim trazer à cena a busca da própria voz, da libertação das relações opressoras, fazendo uma reflexão sobre a busca da felicidade imposta, que não é real”, diz Tatiana. Para Alexandra DaMatta, abordar relacionamentos homoafetivos num contexto de universalidade é um ganho da dramaturgia contemporânea e essencial para a representatividade. "O intuito é trazer o que é comum, natural e orgânico".


Também diretora da montagem, Tatiana conta que o maior desafio da encenação foi entender a linguagem híbrida. O texto já foi escrito pensando no novo formato e ela optou por não fazer um “filme” e sim teatro híbrido. “Não há tratamento no pós-filmagem. A luz, o som e os cortes são feitos ao vivo, como no teatro. Optamos por um não cenário para quebrar o realismo que o cinema propõe. O signo do programa de culinária fica por conta dos objetos e do figurino que criamos", conta.


A trilha sonora original foi criada por Rogério Bastos com a ideia de trazer loops de bateria, em uma trilha seca e descompassada que revela o estado emocional da personagem.


Trilogia Madame


Madame e a Faca Cega é o primeiro espetáculo da trilogia Madame, da Nossa Companhia. O trabalho teve sua primeira apresentação em março na MoMo, a Mostra de Monólogos do Alvenaria, e agora estreia em temporada oficial.


A segunda peça da trilogia é Codinome Madame, com Bia Toledo no elenco, texto de Tatiana Bueno e direção de Tatiana e André Grecco. Com estreia marcada para 13 de maio, a narrativa se passa em um futuro distópico onde a arte foi proibida e uma atriz passa anos enclausurada para se proteger e proteger toda a arte que conseguiu guardar.


A terceira, Madame Tussaud, está em fase de pesquisa dramatúrgica e deve ser anunciada em breve. Em todos os espetáculos da trilogia a Cia apresenta mulheres fortes em busca da sua própria voz, da libertação dos próprios monstros e por seu lugar de fala.


QUEM FAZ

Realização: Nossa Companhia Direção e Dramaturgia: Tatiana Bueno Assistência de Direção: Bia Toledo Preparação de Elenco: Inês Aranha Elenco: Alexandra DaMatta Voz em off: Bibi Cavalcante Trilha Original: Rogério Bastos Desenho de luz e Operação de Iluminação: Samya Peruchi Direção de Fotografia e Operação de Câmera: Nara Ferriani Cenário e Figurino: Nossa Companhia Costureira: Therezinha Bueno Desenho Sonoro e Captação de Áudio: Cecília Lüzs Técnico de Streaming: Lucas Martinez Direção de Produção: Clube do Mecenas Produção Executiva: Camila Pontremoli e Bia Passet Fotos: João Valério Coordenação de Comunicação: Dimalice Nunes Assessoria de Imprensa: Pombo Correio


PROGRAME-SE De 29 de abril a 2 de maio, às 20 horas. Duração: 30 minutos Classificação indicativa: 16 anos Onde: https://www.sympla.com.br/produtor/alvenaria R$20,00 inteira e R$10,00 meia (50% da bilheteria será doada para o movimento SOS Técnica)


AS MAIS LIDAS DA SEMANA... 

1/3