LELA & CIA - NOVA TEMPORADA EM VERSÃO AUDIOVISUAL

Com direção de Alvise Camozzi, espetáculo apresenta mulher que tenta desesperadamente contar uma história, mas sempre é interrompida por vozes masculinas. Elenco traz Malu Bierrenbach e Conrado Caputo.

Foto: Leekyung Kim

Todos possuem voz e história, mas se conhecem apenas aquelas que não foram silenciadas. Inspirado em fatos reais, Lela & Cia., da dramaturga britânica Cordelia Lynn, estreou em 2019 com uma temporada de grande sucesso. Agora, o espetáculo ganha versão audiovisual que faz temporada de 2 a 25 de julho, retirada de ingressos gratuitos pelo Sympla.


Com direção de Alvise Camozzi, tradução de Malu Bierrenbach (que também está no elenco ao lado de Conrado Caputo), a trama traz uma personagem que quer desesperadamente quer contar sua história. O monólogo de Lela – ironicamente interrompido por vozes masculinas – manifesta os conflitos de um mundo estilhaçado pela violência. Há aqui uma narrativa ocupada, e que sofre continuamente com as tentativas de ser silenciada.


Sobrevivendo a uma das grandes questões da dramaturgia – “por que esse texto e por que agora?” - Lela & Cia. é um grito, em primeiro plano, sobre o que é ser mulher; mas também é a comprovação de que, mais do que falar, é preciso ser ouvida – e fazer surgir, assim, um testemunho, que dá coerência à própria história e que tem por consequência o alívio ou o luto (possivelmente ambos).


Dramaticamente o antagonista de Lela é “o homem”, uma figura masculina genérica que representa todas as figuras masculinas específicas que humilharam a protagonista ao longo da vida toda: o pai, o cunhado, o marido, os amigos do marido, os clientes dela, uma vez obrigada pelo marido a se prostituir. O antagonista é um corpo 'polifônico' no espaço. Mas não é só um corpo em cena, é também o espaço sonoro no qual acontece o espetáculo, é o espaço, masculino, que silencia Lela. O ator em cena é a extensão física de uma ideia, um conceito de violência tão endêmico que nos parece surreal, impalpável, inexplicável, intangível. O espectador está no mesmo espaço de Lela, portanto não é somente através dos ouvidos que sente os sons do homem, mas é através do corpo todo durante a performance.


A experiência que um vídeo pode devolver sempre será ‘mono-sensorial’ e bidimensional. Estamos em frente à tela, não dentro dela. Não é por acaso que todas as experiências imersivas das novas tecnologias tentam encurtar esse hiato que somente a experiência ao vivo devolve: o estar dentro do espaço da experiência sensível.


QUEM FAZ De Cordelia Lynn - “Baseado em fatos reais”. “Concebido e elaborado com Desara Bosnja e 1989 Productions”.

Tradução: Malu Bierrenbach

Direção: Alvise Camozzi

Idealização: Malu Bierrenbach

Elenco: Malu Bierrenbach e Conrado Caputo

Cenário: Camila Schmidt

Direção Musical: Dan Maia

Iluminação: Mirella Brandi Direção de Fotografia: Marcelo Felipe Sampaio

Câmera e Edição: Marcelo Felipe Sampaio Registro do Espetáculo em 2019: Leekyung Kim

Direção de Cena: Vanda Dantas Captação de Áudio: Vanda Dantas Fotos: Leekyung Kim Imagem do Material Gráfico: Cris Bierrenbach

Arte Gráfica: Felipe Apolo

Consultoria de Produção: Daniel Pinheiro, Ju Paié e Karol Garrett

Assessoria de Transmissão Online: Cesar Kawamura e Flávio Flocke

Assessoria de Imprensa: Pombo Correio Assessoria de Mídias Sociais: Felipe Apolo e Tobias Caiado Assistente de Produção: Nina Marcci

Coordenação de Produção: Vanda Dantas

Direção de Produção: Alexandre Brazil

Gestão de Produção: Cachorro Morto e Escritório das Artes


PROGRAME-SE Lela & Cia. – Nova Temporada Online

De 02/07 a 25/07

Segunda a Sábado, às 19h

Domingo com sessão dupla às 16h e 19h.


Observação: Não haverá apresentações entre os dias 11/07 a 15/07.

Classificação: 14 anos. Reserve seu ingresso gratuito na plataforma da SYMPLA www.sympla.com.br


Parte deste projeto foi realizado com recursos da Lei Emergencial Aldir Blanc para a Cidade de São Paulo.