JÚNIA CASCAES PROMOVE OFICINA VIRTUAL DE AGBÊ E DANÇA


Foto: Tatiana Reis


Em clima de aniversário e em novo formato, as próximas turmas já estão com as inscrições abertas.


Há sete anos, em maio de 2012, a dançarina e batuqueira, Júnia Cascaes ministrou sua primeira Sereiada. A modalidade é uma a oficina de agbê (ou xequerê) e dança que tem como base o Mito da Sereia Luzia, uma sereia de rio, criado por ela.  Genuinamente candanga, a Sereiada nasceu da cultura popular criada para Brasília e para o cerrado e tem forte influência de grupos culturais tradicionais do DF, como o “Seu Estrelo e o Fuá do terreiro” do qual Júnia é co-criadorada. Para comemorar a data e respeitando as orientações da OMS de manter o isolamento social, aulas virtuais de Sereiada serão oferecidas a partir de 6 de maio, todas as quartas, em dois formatos: para iniciantes às 18h30, e para intermediários às 20h.


“Desde sua primeira edição, em um trabalho para a faculdade de dança, a Sereiada já passeou por algumas cidades do Brasil e foi também para Paris. Em Brasília, os encontros acontecem semanalmente há 4 anos e agora em formato virtual. O objetivo da oficina é que as participantes se descubram potentes fazedoras de música, dança e de suas próprias histórias e brincadeiras”, explica Júnia.

Além da oficina, a celebração do aniversário de sete anos também inclui no dia 7 de maio, às 19h, um encontro gratuito com a dançarina por meio de uma live no instagram @sereialuziadaestrelamolhada, que vai apresentar um pouco mais da Sereiada.


Sobre o agbê

O instrumento percussivo tem origem africana e chegou ao Brasil pelos terreiros, incluído inicialmente nos afoxés e mais tarde nos maracatus nação. Em Brasília, ganhou ritmo, simbologia e histórias próprias.


Segundo Júnia, o agbê é um importante elemento que compõe a cultura nascida e inventada por aqueles que cresceram em Brasília.

“Eu comecei a fazer música quando cheguei no grupo Seu Estrelo, em 2004. Mergulhei na descoberta e criação com o agbê, compreendendo a música através da dança. Seguindo a tradição inventada no Seu Estrelo, os agbês representam as águas do cerrado. ”


O Mito da Sereia Luzia

Da Sereiada surge o mito da Sereia Luzia, uma colhedora de lágrimas. Ela colhe as lágrimas dos seres, tira o sal e com o doce das lágrimas rega os rios. Assim renova as águas e cura os sentimentos das pessoas.

“Esses encontros da Sereiada foram se tornando também um lugar precioso de pesquisa, onde eu experimentava novas composições e ia criando para além aquele universo das águas doces e sereias. Foi no leito de Rio onde Luzia, minha personagem foi sendo criada”, relembra.


O Mito virou o solo “Sereia Luzia da Estrela Molhada”, os ensaios já estão acontecendo e em breve, estará disponível para o público.


PROGRAME-SE

Oficina de Sereiada

QUANDO: Início 6 de maio – todas as quartas feiras

HORÁRIO: 18h30 – iniciantes / 20h - intermediária

QUANTO: 160 reais mensais

INSCRIÇÕES: 61 981470475

Instagram e facebook: @sereialuziadaestrelamolhada 

1/5

© 2019 - Conteúdo - Portal de Cultura e Arte de Brasília e do Brasil

 Editado por Josuel Junior e colaboradores       I     Web Designer: Caio Almeida

  • Instagram B&W

Para sugestão de pauta, envie release o e-mail:

falecomportalconteudo@gmail.com