HORIZONTE SUBMERSO - ESPETÁCULO DA CONFRARIA DA DANÇA

Horizonte Submerso traz à cena uma linguagem híbrida de dança, teatro e música que rompe fronteiras e amplia os horizontes de alcance da obra.

O universo criativo do escritor Edgar Allan Poe, do artista plástico Paul Klee e do desenhista, músico e cineasta Dave McKean inspiraram o novo espetáculo da Confraria da Dança, que celebra seus 25 anos com a estreia de Horizonte Submerso, obra audiovisual que fica disponível para o público no Youtube da Confraria da Dança a partir do dia 29 de novembro de 2021, às segundas e terças, 21h, com acesso gratuito. A obra foi criada e é interpretada por Diane Ichimaru - que também assina direção artística, dramaturgia, figurino e criação das máscaras, Marcelo Rodrigues - que também assina o desenho de luz, e Esio Magalhães, ator e palhaço convidado especialmente para esse projeto. Já a composição e execução da trilha musical é do compositor, arranjador e pianista Rafael dos Santos, também convidado especial que é parceiro de longa data do grupo, tendo assinado trilha de outros espetáculos. Com a Confraria da Dança, é a primeira vez que Rafael entra em cena junto com os bailarinos.


Além da temporada, está marcado também um bate-papo com os criadores do espetáculo mediado pela atriz e encenadora Veronica Fabrini por Zoom, no dia 30 de novembro, terça-feira, às 21h30. Para participar, basta se inscrever por meio deste link. Veronica é mestre em Artes pela UNICAMP, Doutora em Artes Cênicas pela USP, com pós-doutorado em Filosofia na Universidade de Lisboa. É professora do Instituto de Artes da UNICAMP desde 1991, nas áreas de poéticas do corpo, direção e atuação. Atua principalmente nos seguintes temas: atuação, performance, dança, teatro gestual, dramaturgia de cena e dramaturgia de imagem.


Os artistas referenciados para a criação de Horizonte Submerso aparecem na obra como inspiração para um submundo, um lugar reservado aos sonhos e as lembranças. Por assumir esse caráter, o espetáculo se divide em nove cenas fragmentadas, como quadros que se sobrepõem um ao outro. "Estabelecemos um diálogo entre os três artistas a partir de elementos encontrados em suas obras, como as cabeças bidimensionais sugeridas por McKean, os escritos poéticos do conto Berenice, de Edgar Allan Poe e a obsessiva reflexão sobre instabilidade e equilíbrio no universo em mosaico de Paul Klee", ressalta Diane Ichimaru.


Os artistas que inspiraram a obra são de gerações e países diferentes, o que reforça a interseção da linguagem criativa produzida por eles, afinal todos estabelecem uma relação entre o real e o fantástico. São também artistas que discutem, em seus trabalhos, os impasses da dualidade, do sarcasmo, da realidade subjetiva e da abordagem sobre o tempo de um modo distorcido e fragmentado, atingindo muitas vezes o inconsciente.


As cenas propõem reflexão em torno de questões como o tempo, a finitude, o equilíbrio, a instabilidade e a gravidade. Desse modo, o trabalho aborda problemáticas universais e extremamente atuais, como dilemas existenciais, a aceitação do contrário, a superação do medo e do desconhecido, o enfrentamento da morte e a convivência mútua entre o consciente e o inconsciente.

A Confraria da Dança está sediada na cidade de Campinas/SP desde 1996 e atualmente celebra 25 anos de atividades relacionadas à pesquisa, criação e produção artística. Honrando o termo “confraria” - conjunto de pessoas que se associam tendo em vista interesses e objetivos comuns - realiza parcerias com artistas das áreas da dança, teatro, música e artes plásticas. Sua atuação artística ocorre, prioritariamente, fora da capital, seus projetos contemplam ações na própria cidade/sede e em outras cidades de pequeno e médio porte do interior do Estado de São Paulo, difundindo a dança através de atividades de formação e fruição artística, traçando um crescimento radial em seu campo de ação junto à comunidade, promovendo acessibilidade comunicacional e atingindo público leigo de todas as idades, estudantes de arte em processo de formação e artistas profissionais. A Confraria da Dança acumula em seu percurso premiações da APCA, da FUNARTE/ MINC, Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo, Cultura Inglesa, SESI SP, Itaú Cultural/Rumos Dança.

QUEM FAZ Criadores-intérpretes: Diane Ichimaru, Esio Magalhães e Marcelo Rodrigues Composição e execução de trilha musical: Rafael dos Santos Direção artística e dramaturgia: Diane Ichimaru Desenho de luz: Marcelo Rodrigues Operação de luz: Coré Valente Figurinos, máscaras e adereços: Diane Ichimaru Costuras: Nice Cardoso Fotografia: FBarella Câmeras: Bruno Torato e Thiago Pinheiro Som direto: Talles Rodrigues Edição de vídeo: Bruno Torato Projeto gráfico: Lucas Ichimaru Assessoria de comunicação: Márcia Marques / Canal Aberto Produção executiva: Pedro de Freitas / Périplo Produção e realização: Confraria da Dança PROGRAME-SE Horizonte Submerso Temporada: De 29 de novembro de 2021 a 14 de dezembro de 2021, segundas e terças, 21h Acesso: Youtube da Confraria da Dança Duração: 38 minutos Classificação indicativa: Livre

Conversa com os criadores do espetáculo mediada por Veronica Fabrini Dia 30 de novembro, terça-feira, 21h30 | Acesso pelo Zoom. É necessário se inscrever para a atividade por meio deste link

AS MAIS LIDAS DA SEMANA...