top of page

FERNANDA STEFANSKI E ANDRÉ ZURAWSKI NO ESPETÁCULO "NÓS"/ SP

Espetáculo pensado especificamente para as instalações da Oficina Cultural Oswald de Andrade discute os desafios do processo de construção da intimidade.

Fotos de Ligia Jardim

As dualidades e barreiras quase intransponíveis que criamos quando nos relacionamos com o “outro” são questões discutidas pela peça NÓS, livremente inspirada no contexto distópico proposto pelo romance homônimo do russo Ievguêni Zamiátin (1884-1937). O espetáculo, concebido e atuado por Fernanda Stefanski e André Zurawski estreia no dia 24 de agosto, na Oficina Cultural Oswald de Andrade, onde segue em cartaz até 24 de setembro.


Publicada pela primeira vez em 1924, a distopia futurista de Zamiátin influenciou grandes obras desse gênero, como 1984, Admirável Mundo Novo e O Conto da Aia. O romance se passa no futuro e retrata um estado totalitário, no qual as emoções foram eliminadas. Não há mais divergência entre as pessoas, liberdade ou qualquer forma de privacidade.


O espetáculo não se propõe a realizar uma adaptação teatral dessa distopia, afirma André Zurawski. “A estrutura do romance apresenta uma sequência de peripécias e fluxos de consciência em primeira pessoa do protagonista. Nosso desejo era construir uma dramaturgia em dueto, que abordasse a distopia pela perspectiva de dois protagonistas no momento atual, e entender o quanto já somos distópicos em em 2022."


A pesquisa concentra-se na investigação das fronteiras que permeiam as relações na contemporaneidade, levando em consideração uma das características primordiais da espécie humana: o medo do “outro”, principal responsável pelos sentimentos de isolamento e solidão, cada vez mais radicalizados em nossa sociedade.


A trama apresenta o processo de construção da intimidade entre duas pessoas que se conhecem por acaso, e enfrentam a barreira do cinismo como censura do amor, intensificando suas dúvidas e as paralisando. A salvação está no resgate da potência das faculdades humanas: a imaginação, a memória e o sonho – erradicados no futuro distópico do romance de Zamiátin.


Outro tema pesquisado pelos artistas é a dualidade, por meio da qual o ser humano instintivamente observa o mundo e estabelece fronteiras entre nacionalidades, etnias, religiões, classes, gêneros, dividindo as pessoas entre "eu/nós/você/eles/os outros".

“São duas personagens que se comunicam através de duetos, diálogos, padedês, duelos… Estamos brincando com separações que criam dualidades e a encenação está sendo pensada a partir do conceito de pares", acrescenta Fernanda.


Já a dramaturgia foi pensada especificamente (site specific) para a Oficina Cultural Oswald de Andrade, que atualmente passa por uma reforma. “Vários espaços estão sem forro, com as paredes descobertas e estruturas à mostra. Essa reconstrução do espaço físico da sala de ensaio onde a peça foi criada foi incorporada à dramaturgia. Todas as restrições e constrangimentos decorrentes da reforma – poeira, entulho, interdição de espaços e avisos de perigo – se tornaram metáforas para o tema do projeto: o compreensão do amor não apenas como um sentimento e sim como uma ética de vida e construção cotidiana, que só tem sentido na ação. O amor é o que o amor faz", conclui a diretora.


Sinopse

O que é o amor? O ano é 2022, as emoções, a intimidade e o diálogo são ideologicamente indesejáveis e estão expressamente proibidos. Nesse contexto distópico duas pessoas se encontram clandestinamente, em uma sala de teatro prestes a ser demolida. Juntas, elas reconstroem sua intimidade perdida, a partir dos resquícios de uma civilização que colapsou.

QUEM FAZ

Concepção, direção e dramaturgia: Fernanda Stefanski e André Zurawski

Assistência de direção: Jorge Ferreira

Dramaturgismo: Jorge Ferreira e Sofia Riccardi

Elenco: Fernanda Stefanski e André Zurawski

Produção executiva: Aura Cunha e Yumi Ogino

Desenho de movimento: Beth Bastos

Cenografia e desenho de luz: Marisa Bentivegna

Figurinos e adereços: Chris Aizner

Fotografia: Ligia Jardim

Projeto audiovisual e tecnológico: Núcleo Instável

Música original e desenho de som: Charles Tixier

Arte gráfica: Eric Peleias

Orientação dramatúrgica: Luis Felipe Labaki

Assessoria de imprensa: Pombo Correio

Redes sociais: Jorge Ferreira

Palestrante convidada: Magô Tonhon

O espetáculo NÓS é realizado com recursos da 12ª edição do Prêmio Zé Renato


PROGRAME-SE

NÓS, de Fernanda Stefanski e André Zurawski

Temporada: 24 de agosto a 24 de setembro

quartas, quintas e sextas – 20h

sábados e feriados – 18h

sexta, dia 23/09 – 17h e 20h

Apresentação-desmontagem: 02, 09 e 16/09

sextas – 17h

Oficina Cultural Oswald de Andrade – Rua Três Rios, 363, Bom Retiro

Ingressos: grátis, distribuídos uma hora antes de cada sessão

Classificação: 14 anos

Duração: 60 minutos

Capacidade: 40 lugares

Comments


bottom of page