EXPOSIÇÃO COLETIVA "RAÍZES DE SÃO SEBASTIÃO" NO DF

RAÍZES DE SÃO SEBASTIÃO conta com mais de 10 artistas locais, de variadas linguagens artísticas e lança um olhar sobre o reconhecimento da importância história e cultural da presença dos migrantes.

No dia 7 de maio, a RAXIV Galeria - espaço autônomo de difusão de arte - convida a toda comunidade para a demarcação da Gameleira Central de São Sebastião. O ato faz parte da programação da exposição coletiva RAIZES DE SÃO SEBASTIÃO, que retrata as matrizes culturais da cidade e que estão sendo soterradas pelo processo de urbanização. A ação será feita pelo poeta e griô Edvair Ribeiro e está prevista para às 18h.


Berço da cidade, a Gameleira localizada em frente ao Campo Central era um ponto de encontro nos primórdios da urbanização de São Sebastião. Sob a sombra da árvore, localizada próximo a uma das Olarias da cidade, aconteciam os festejos tradicionais da comunidade, a feira de diversos materiais, o primeiro ponto de telefone. “A demarcação da árvore é uma maneira de relembrar de onde viemos e para onde vamos”, conta o diretor artístico da exposição, o artista plástico Ricardo Caldeira. Esta árvore dá o nome de uma das principais avenidas da cidade, a Rua da Gameleira, e foi derrubada para a construção de uma parada de ônibus e comércios.


Complementando a ação, será realizado um bate-papo com Edvair Ribeiro sobre estas histórias de São Sebastião que poucos sabem, mas que compõe culturalmente os moradores da cidade. O estudante de museologia Gabriel Dourado realizará uma fala sobre a importância de compreendermos a expressão artística e cultural da periferia como um registro histórico.


RAÍZES DE SÃO SEBASTIÃO conta com mais de 10 artistas locais, de variadas linguagens artísticas e lança um olhar sobre o reconhecimento da importância história e cultural da presença dos migrantes, de olarias, da natureza nativa como o cerrado, as águas e nascentes, e também a coexistência entre as zonas rurais e urbanas. Estas são características intrínsecas à constituição simbólica deste território que, devido sua diversidade cultural, vai muito além de uma região administrativa do Distrito Federal.


A seleção traz artistas de diversas gerações e trajetórias: Calcifer Zecaiê, Carli Ayô, Chico Metaformose, Loba Makua, Mael Lima, Martiz, Mozart Silva, Under e Senhora Teles, que fará uma performance ao longo da abertura. Como uma forma de valorizar a presença das olarias que resistem na cidade, a artista Dani Dumoulin fará uma instalação com escombros da Olaria Nacional, recentemente derrubada para favorecer um empreendimento imobiliário. Também haverá uma exposição de tijolos artesanais da Olaria na Chácara Veredas, feitos pela Dona Leontina e família, pioneira de São Sebastião.


A exposição fica em cartaz do dia 7 de maio a 3 de junho, na RAXIV Galeria, em São Sebastião. A produção é da Sebastianas, agência potencializadora de artistas de quebrada.


QUEM FAZ

Direção de arte: Ricardo Caldeira

Programação visual: Ricardo Caldeira

Co-curadora: Dani Dumoulin

Equipe de montagem: Marina Ferrari, Janaína Brandão, Ricardo Caldeira, Leonardo Deolino, Dani Dumoulin, Bragi

Produção executiva: Marina Ferrari

Assistente de produção: Janaína Brandão

Redes sociais: Loba Makua, Janaína Brandão, Emanuel Ramos

Assessoria de comunicação: Loba Makua


PROGRAME-SE

EXPOSIÇÃO RAÍZES DE SÃO SEBASTIÃO

Data: 7 de maio de 2022

Duração: até dia 3 de junho de 2022

Horário: abertura às 18h

Endereço: Rua 44 lote 70 - Centro - São Sebastião/DF, em frente ao Campo Central, RAXIV GALERIA

Classificação: Livre

Redes sociais: instagram.com/sebastianas.df e instagram.com/raxivgaleria Mais informações: Ricardo Caldeira (61983031594)

Gratuito

AS MAIS LIDAS DA SEMANA...