top of page

ESPETÁCULO "A MORTE NAS MÃOS DE QUEM?" SERÁ APRESENTADO NA CIDADE ESTRUTURAL - DF

Espetáculo terá nova temporada com ingressos gratuitos no CREAS da Cidade Estrutural

Fotos: Vladimir Luz

Viver em estado de alerta. Lidar com o risco de sofrer violências de forma constante. Ter a morte como um medo permanente. Carregar o pesadelo da morte nas suas mãos. Tudo isso por um único motivo: ser parte da comunidade LGBTQIAPN+. Inquietações e desconfortos como esses são o ponto de partida de "A morte nas mãos de quem?", espetáculo de Vinícius Ávlis que retorna aos palcos no dia 31 de maio em temporada de dois finais de semana no CREAS da Cidade Estrutural.


O espetáculo traz a história do personagem Sereno Soares (Vinícius Ávlis), que questiona e dialoga sobre a finitude humana. Pesadelos da morte assombram sua mente todas as noites. Contrastando com essa sombra, surge Áureo (Fábio Aurélio Garcia). Com olhos que captam a beleza intrínseca de Sereno, ele o encoraja a abraçar a vida apesar das adversidades. A produção é enriquecida por efeitos sonoros ao vivo, que intensificam as emoções do público. 


As vivências de Vinícius Ávlis como um homem gay e periférico inspiraram a dramaturgia do espetáculo. Segundo ele, o medo da violência foi a maior motivação. "O medo de me tornar mais um número nessas estatísticas do Brasil; o Brasil é o país que mais mata LGBTs no mundo”, afirma Ávlis, que buscou o poder político do teatro como ferramenta de denúncia. “Eu queria levantar, através do teatro, esses questionamentos", diz.


Na nova montagem, o dramaturgo e protagonista divide o palco com o ator Fábio Aurélio Garcia, com a direção de Fernanda Jacob. O olhar de Jacob sobre o projeto adiciona novas camadas à obra original. "Camadas de sutileza... os dois personagens que antes estavam em uma angústia ferrenha com o medo da morte, ganham o lugar do afeto. Essa relação se fortalece e eles ganham uma outra maturidade", compara Vinícius. 


Levar “A morte nas mãos de quem?” para apresentações na Cidade Estrutural é um ato simbólico; uma vez que esta é uma das regiões administrativas do DF com maior percentual de moradores evangélicos. “Muitas igrejas que ainda não estão abertas ao diálogo, e reverberam um discurso de ódio em relação à comunidade LGBT”; afirma Vinícius. Ele lembra a importância de abrir espaços para reflexão e diálogo onde ainda não há esta representatividade. “É uma oportunidade para que a gente se escute acima de tudo, para que essa discussão seja de forma afetiva. E nada mais potente do que isso ser feito através do teatro, da arte, da cultura”, celebra.

O espetáculo estreou pela primeira vez em março de 2023, após ser aprovado no projeto de ocupação “A Casa É Sua”, do Espaço Multicultural Casa dos Quatro, com o apoio do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), da Secretaria de Cultura do Distrito Federal. Dois meses depois, foi apresentado no Festival Cena de Quebrada, realizado na Cidade Estrutural. Em seguida, um trecho foi apresentado na mostra competitiva do Festu, na Cidade das Artes do Rio de Janeiro (RJ), e em agosto de 2023, o espetáculo retornou ao palco brasiliense, dessa vez pelo projeto de Ocupação Sesc + Cultura, no Sesc do Setor Comercial Sul.


PROGRAME-SE

A MORTE NAS MÃOS DE QUEM? 

Datas: 31 de maio, 01, 02, 07, 08 e 09 de junho

Sextas e sábados às 20h. Domingos às 19h

Local: CREAS da Cidade Estrutural 

Classificação indicativa: 16 anos

Entrada Franca

Este projeto é realizado com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal.


QUEM FAZ

Elenco: Vinícius Ávlis e Fábio Aurélio Garcia

Dramaturgia: Vinícius Ávlis

Direção: Fernanda Jacob

Produção: Interlúdio Produções Fotografia: Vladimir Luz 

Cinegrafia: Alisson Gonçalves

Realização: Coletivo Arar

Apoio: Espaço Multicultural Casa dos Quatro

Assessoria de Imprensa: Ana Elisa Santana

Comments


bottom of page