top of page

DOCUMENTÁRIO SOBRE TRAJETÓRIA DE VLADIMIR CARVALHO ESTREIA EM BRASÍLIA

Filme terá exibição em sessão especial no próximo domingo (20) e homenageia o cinema da capital federal


Os irmãos Vladimir e Walter Carvalho durante as filmagens de "O País de São Saruê" - Reprodução / Arquivo Pessoal Vladimir


Brasília está na telona desde que foi concebida. Mas suas contribuições para o cinema brasileiro vão além do fato de ser sempre uma cidade enquadrada por câmeras ou por abrigar o mais longevo festival de cinema do país. Os realizadores que surgiram e surgem na cidade são tão importantes que determinaram e determinam escolas, estéticas e rumos da feitura dessa arte. Vladimir Carvalho é fundamental para o Cinema Novo. Fundamental para seu irmão, Walter. Fundamentais por terem formado José Eduardo Belmonte na Universidade de Brasília, pouco antes da Retomada. Fundamentais para Marcio de Andrade, documentarista e cineasta da safra contemporânea da cidade. E por reverenciar os fundamentais, Marcio começou a colher depoimentos dos irmãos Carvalho para um projeto que, organicamente, se transformou em conversa de irmãos e, assim, surgiu "Quando a Coisa Vira Outra". O documentário terá exibição em sessão especial do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro no próximo domingo (20), às 15 horas, no Cine Brasília (106/7 Sul).


O longa de 94 minutos - das mais de 500 horas de captação de imagens - revela como o Cinema da Desigualdade de Vladimir Carvalho marcou a trajetória do documentarista. Nascido no árido sertanejo do Nordeste e radicado em Brasília, ele transitou com desenvoltura entre as memórias de sua terra e a política da capital.


"O Vladimir Carvalho construiu mesmo uma espécie de iconografia própria do Nordeste, porque ele tem filmes no Nordeste e filmes realizados em Brasília. Ele faz essa transição entre Nordeste e Centro-Oeste, ele foi morar em 1970 em Brasília e soube com desenvoltura transitar nessas paisagens, e foi buscando os temas. Quais eram os temas? 'Conterrâneos Velhos de Guerra', buscando o nordestino que foi construir Brasília e de lá foi expulso por também não ter lugar. E de uma certa maneira, ele também não tinha o lugar, depois de perseguido pela censura durante nove anos. Com 'O País de São Saruê' ele transitou pra Recife, pra Bahia, pro jornalismo, pra tentar se encontrar num lugar, né? Que foi o documentário. Então ele soube de uma certa maneira lidar com essa representatividade", conta Marcio de Andrade.


imagens de still - "Quando a Coisa Vira Outra" / Reprodução


“Quando a Coisa Vira Outra” é um encontro entre imagens com Vladimir e seu irmão, Walter Carvalho, cineasta e diretor de fotografia. Desde o início, Walter foi levado a participar do universo do cinema. Fotografou diversos filmes importantes e construiu também linguagem própria na direção. O documentário percorre os mais importantes filmes realizados por Vladimir, numa conversa entre irmãos que revelam seus processos criativos.


"Vários fotógrafos trabalhavam com Vladimir. Eram eles que trocavam as ideias, e o Walter ficava ali, escutando, próximo, participando daquilo. Até que depois ele vai fazer a sua primeira direção de fotografia em 1973, e seus filmes como 'Budapeste' e 'Raul, o Princípio, o Fim e o Meio'. Só que sempre houve essa troca com o Vladimir, ele fala isso claramente: 'tudo o que eu tenho vem do Vladimir porque me incentivou, botou pra estudar'. Então tudo isso foi uma alimentação intelectual, visual, pessoal e paternal também, fraternal fundamentalmente, né? Eles falam muito isso", revela o diretor.


Prêmios e participação


Vladimir Carvalho estará presencialmente na sessão especial da exibição de "Quando a Coisa Vira Outra", assim como Walter Carvalho esteve na exibição do Festival do Rio, no último mês de outubro. O filme já ganhou o prêmio "Arquivos em Cartaz", promovido pelo Arquivo Nacional.


Sobre o diretor


Marcio de Andrade dirige curtas documentais e ficcionais desde 2000. "Stela do Patrocínio - A mulher que falava coisas", de 2007, foi premiado como melhor documentário nos festivais de Cinema de Pernambuco, Curta Santos e ganhou menção honrosa "Guarnicê de Cinema", além de um Petrobras por produção em mídias digitais. Também assina "Asfalto" (2015), "Carraspana", "Albery" e "Isto é para quando você vier".


QUEM FAZ


Direção e roteiro - Marcio de Andrade

Produção executiva - Anna Karina de Carvalho e Marcio de Andrade

Direção de fotografia - Marcelo Gibson Marcio de Andrade

Câmeras - Alex Ribeiro, Carlos Colla, Daniel Paranayba, Mariana Vitarelli, Marcela Bussolloti, Marcelo Gibson e Marcio de Andrade

Montagem - Rodrigo Neiva, Daniel Meneguelli, Marcio de Andrade e Marcelo Gibson

Edição de áudio e mixagem - Bernardo Gebara

Colaboração no roteiro - Anna Karina de Carvalho

Imagens aéreas - Bosco Leocádio, Cláudio Borba, Marcelo Ribeiro

Imagens Making of Rock Brasília - Era de Ouro - Anne Hinds

Motion Design e Finalização -Daniel Meneguelli

Ilustrações - Fred Assumpção

Cartaz - Lula Ricardi

Direção musical - André Ciraudo

Trilha Sonora - André Ciraudo, Bruno Py, Gustavo Melo, Marcus Nunes, Gabriel Geszti

Controller - Camila Palatucci

Assistência de produção - Duda Queiroz, Wesley Cerqueira

Transcrições - Duda Queiroz, Natã Lopes, Ricardo Cotecchia

Animação - Fred Assunção, Rodrigo Neiva

Narração - Marcio de Andrade

Комментарии


bottom of page