DOCUMENTÁRIO DAS PAQUITAS É CANCELADO POR CLIMA PESADO

Entrevistas foram realizadas por Joana Di Carso para celebrar a história das Paquitas. As revelações delas foram um tanto fortes e a diretora optou por cancelar a produção, disponibilizando as versões originais dos encontros.

Uma série de entrevistas comemorativas com as Paquitas prometia ser uma homenagem às carreiras das ajudantes de Xuxa nos anos 90 e 90. A diretora do projeto, Joana Di Carso, já tinha começado a entrar em contato com algumas integrantes e chegou a batizar o documentário como "Foi tão bom", em alusão refrão "É tão bom...", do hit mais famoso da girl band, a música "Fada Madrinha, de 1989,


Algumas entrevistas já haviam sido feitas com as paquitas Andrea Faria (a Sorvetão), Andrea Veiga, Juliana Baroni e Luise Wischermann, além de Diler Trindade (produtor do longa Sonho de Verão), Michael Sullivan (compositor de muitas músicas gravadas por Xuxa) e o coreógrafo Oswald Berry.


O objetivo inicial de Joana era reviver essa história que foi marcante para a geração que consumiu o "Xou da Xuxa". As entrevistas, que são muito honestas, começaram a revelar bastidores nem tão encantadores assim... Muitos relatos de assédio moral, de desrespeito nos bastidores foram levantados de maneira natural na conversa, mas que, se divulgados numa obra audiovisual, poderiam gerar outros problemas, tanto de direitos autorais quanto diplomáticos. Muitos relatos, inclusive, apontavam momentos de maus tratos por parte da empresária Marlene Mattos. Claro... não são declarações explicitamente nominais em sua maioria, mas em vários momentos das entrevistas o clima pesa mesmo.


De acordo com matéria publicada no Jornal Extra, das 29 paquitas existentes, 20 tinham aceitado participar do projeto. Uma das mais famosas, a Letícia Spiller, chegou a aceitar, mas depois voltou atrás. Ainda de acordo com a matéria do Extra, a paquita Stephanie Lourenço, da geração 2000, chegou a gravar, mas pediu que o material não fosse exibido publicamente. Em meio às negativas e algumas preocupações dignas de quem produz obra audiovisual no país, Joana Di Carso decidiu cancelar o projeto.


COMO SOUBEMOS DO CONTEÚDO, ENTÃO?

Joana Di Carso cancelou o projeto, mas os arquivos originais das entrevistas autorizadas foram publicados na íntegra no Youtube. São vídeos longos, com conversa informal, algumas interrupções nos bastidores, áudios sem finalização, silêncios e muita informação. Curiosidades nunca levadas a público ganharam força, mas o que se destaca mesmo são os relatos de uma convivência difícil nos bastidores. A maneira pela qual Andrea Sorvetão foi demitida impressiona. A própria empresária Marlene Mattos chegou a bloquear Joana Di Carso no whatsapp após convite para falar sobre o período em que liderou Xuxa e sua trupe na Rede Globo.


Se você tem paciência e gosta do assunto, assista aos pouquinhos. É muito bom de se ver.


AS ENTREVISTAS CONTINUAM...

A história das Paquitas não terminam com o documentário. Andrea Sorvetão tem realizado lives curiosíssimas com as ex-colegas de trabalho também. As lives, com pouco mais de 1 hora, também relevam outras informações curiosas e puxadas da rotina das assistentes de palco. De novo, alguns relatos um pouco delicados são postos nos vídeos. Das lives de Sorvetão, que são muitas, destaque para as conversas com Letícia Spiller, Marcelo Faustini, Gigio, Ana Pauta Guimarães e Catia Paganote. É um misto de nostalgia e perplexidade. Realmente as meninas tiveram momentos de glória, mas penaram bastante fora das câmeras.


MARATONE AS ENTREVISTAS E AS LIVES ATRAVÉS DOS LINKS:


1 - Entrevistas do projeto "Foi Tão Bom"


2 - Lives Turma da Xuxa, por Andrea Sorvetão


1/5

© 2019 - Conteúdo - Portal de Cultura e Arte de Brasília e do Brasil

 Editado por Josuel Junior e colaboradores       I     Web Designer: Caio Almeida

  • Instagram B&W

Para sugestão de pauta, envie release o e-mail:

falecomportalconteudo@gmail.com