CONHEÇA O COLETIVO TRINA, QUE FAZ PARTE DA PROGRAMAÇÃO DO PEÇA SHOW

O evento Peça Show está sendo realizado no Complexo Cultural Samambaia. Uma das atrações do sábado é a obra "Uma peça para (res)pirar", do Coletivo Trina, que conheceremos melhor hoje no Portal Conteúdo.

Glednna, Alzira e Carol formam o Coletivo Trina/ Divulgação

O Coletivo Trina surgiu em 2020 e transita por diferentes lugares, desde o teatro até a literatura e o audiovisual. Isso no Brasil de 2022 é algo muito importante pelas novas narrativas da indústria cultural. E essa versatlidade abre portas para que o trabalho desenvolvido por Glednna Fernanda, Carol Resende e Alzira Bosaipo seja conhecido por diferentes públicos do DF.


Batizar um grupo ou coletivo não é uma tarefa das mais fáceis, mas no caso do Trina, tudo faz sentido: Trina foi escolhido porque, além da referência à quantidade de integrantes (3), também vem do verbo trinar, que significa soltar a voz. Esse significado se relaciona exatamente com a proposta das artistas, que é a de ecoar suas vozes por meio da arte.


"Acreditamos que a arte é imprescindível para superarmos esses tempos tão difíceis que estamos vivendo. A própria arte é o que nos move, a arte é a nossa forma de estar no mundo. E seguimos fazendo arte de forma totalmente independente, mesmo com tantos entraves que têm surgindo na vida dos artistas", comenta a componente Alzira Bosaipo.

Divulgação

Levar o espetáculo "Uma peça para (res)pirar" para Samambaia neste momento de retorno das atividades culturais é importante, pois é sabido que nas periferias a efervescência artística é contínua e intensa, sem contar que serve de alento ao público que, por mais de dois anos, teve o acesso aos bens culturais locais impossibilitado em decorrência da pandemia.


"Samambaia é um rico e potente nicho cultural em todas as linguagens artísticas e acreditamos que é fundamental que se divulgue cada vez mais a arte produzida nas RAs. É maravilhoso ver que as manifestações artísticas presenciais estão voltando com tanta força, principalmente após dois anos sendo tão negligenciadas. Estamos honradas em poder participar ativamente deste retorno!", sustenta o coletivo.

O Coletivo tem experimentações no campo do teatro e no audiovisual

“Uma peça para (res)pirar” é livremente inspirada no livro "1984" de George Orwell. A obra do Coletivo Trina aborda as relações de poder e suas dualidades. Para tal, o grupo se utiliza de elementos centrais apresentados no livro, a vigilância do Grande Irmão e experiências vivenciadas pelas atrizes, para contar uma história sobre poder e submissão, em um jogo de metateatro.


Após a apresentação em Samambaia, o coletivo pretende circular com o espetáculo pelo DF, a fim de que mais pessoas possam ter acesso ao que há de mais contemporâneo na arte cênica brasiliense.

PROGRAME-SE

Peça Show

"Uma peça para (res)pirar"

A partir das 19h no Complexo Cultural Samambaia, que fica na área especial da QS 301

Entrada Franca


SIGA A ARTE DO DF PELAS REDES

@coletivotrina

@carolresende31

@glednna

@auzirabosaipo

@pecashowdf


AS MAIS LIDAS DA SEMANA...