CONFIRA O CRIATIVO VIDEOCLIPE DA MÚSICA "SIM", LANÇADA PELO PROJETO MEB

Com clipe lúdico, MEB lança “Sim”, segundo single do novo trabalho. A composição faz parte do repertório de “Cabeça Doce”, disco que será apresentado junto com um livro de provocações poéticas, em outubro.

Still - Fernando Souza

Música que é feita como teatro, a teatralidade que brota da literatura e a escrita que não se resume ao encadeamento das palavras”. É assim que Caio Riscado, professor, doutor em Artes Cênicas pela UNIRIO, artista pesquisador, diretor artístico e performer define o trabalho do projeto MEB - sigla para Música Extemporânea Brasileira - que lança com clipe a música “SIM”, segundo single do novo trabalho.


Composta por Zé Luiz Rinaldi, criador do MEB com a cantora Ticiana Passos, “Sim” precede a chegada de “Cabeça Doce”, segundo disco de poesias transformadas em música, marca do projeto, e que será lançado em outubro junto com um livro de provocações poéticas assinadas por colaboradores diversos. A banda é completada por Alexandre Rabello no baixo e Élcio Cáfaro na bateria.


‘Sim’ é o centro irradiador do disco ‘Cabeça Doce’. É um samba, uma das matrizes do Projeto MEB; é acústico, mostrando que o ‘Boca do Mundo’ segue nele”, conta Rinaldi, em referência ao álbum de estreia, lançado em 2015 e no qual trouxe poemas de Paulo Leminski, Emily Dickinson, Rainer Maria Rilke e Fernando Pessoa, junto a canções de sua autoria.


Esta música é a condensação dos sentidos que nos moveram ao longo da realização do novo álbum: crítico, lúcido, amoroso e afirmativo. Sim, temos muito o que fazer”, completa o poeta e compositor, que tem trajetória artística intimamente ligada ao teatro. Não por acaso, o clipe surgiu do argumento de Rinaldi, que trouxe a ideia de termos cabeças dentro de caixas e que cada caixa teria o seu universo.


‘Uma câmera na mão’ e uma caixa na cabeça

Convidado para a direção, Felipe O'Neill, da Palmeira Filmes ETc, desenvolveu a ideia junto com ele e com Ticiana, que produziu uma cenografia lúdica, criada para dar plasticidade a versos como “tem nos feito / tanta falta / muitos e diferentes / sim / que abrace / que afirme / e bem nos conduza / daqui”.



Brincamos com as escalas diferentes dos objetos, além de misturar elementos reais e psicodélicos. Buscamos a relação entre o simbolismo dos elementos e os significados”, explica O’Neill. “Parafraseando Glauber Rocha, é ‘Uma câmera na mão’ e uma caixa na cabeça. A proposta do clipe é expandir para além da caixinha, através de símbolos e imagens de diversos universos fantasiosos e paradoxais que combinam com a canção”, finaliza o diretor.


De volta às palavras de Riscado: “desculpa, flor. Mas aqui não há invenção. E nem o delírio de uma proposição inédita. O que existe é o desejo de olhar para as coisas do mundo e bagunçar suas funções”. É assim que vem chegando “Cabeça Doce”, o novo trabalho do MEB. “Só procure onde não for previsível encontrar”.


Site Oficial | Instagram | Facebook | YouTube | Spotify


FICHA TÉCNICA MÚSICA E CLIPE:


Clipe:

Roteiro: Felipe O'Neill e Zé Luiz Rinaldi

Direção e fotografia: Angela Sugai e Felipe O'Neill

Direção de arte: Ticiana Passos

Som Direto: Michele Leal

Montagem e finalização: Angela Sugai

Direção de produção: Palmeira Filmes ETc

Produção de set: Victor Lorencini

Still: Fernando Souza

Visagismo e Maquiagem: Diego Nardes

Cabeleireiro Visagista : Lucas Tetteo


Música:

Letra e música: Zé Luiz Rinaldi

Voz: Ticiana Passos

Violão: Zé Luiz Rinaldi

AS MAIS LIDAS DA SEMANA...