top of page

COMPANHIA NOVA DE TEATRO ESTREIA PEÇA SOBRE ENTRELAÇAMENTO DE CULTURAS NA CIDADE DE SÃO PAULO

Com texto e direção de Carina Casuscelli ENTRELAÇADOS apresenta a diversidade de algumas culturas presentes na metrópole paulistana. Em cena, performers turcos, africanos, andinos, venezuelanos e de outras etnias transitam entre o biográfico e o ficcional

Baseado em relatos pessoais de diversas etnias, que residem na cidade de São Paulo, e que trazem em si conhecimentos, valores, desejos, desafios e vivências, o espetáculo ENTRELAÇADOS – obra multimídia da Companhia Nova de Teatro – traz para a cena o resultado dos entrelaçamentos dessas diferentes culturas. Escrita e dirigida por Carina Casuscelli, a montagem estreia dia 3 de agosto, quinta-feira, às 19h30, na Oficina Cultural Oswald de Andrade.


No palco, o elenco composto de performers turcos, africanos, andinos, venezuelanos e outras etnias – Alex Nasser, Emrah Esatoglu, Cesar Chui, Isidro Sanene, Fran Castellar, Safira Lazúli, Suzana Aziza e Thatita Alves –, foi provocado e estimulado para as ações investigativas por meio de relatos, ações físicas e textos ficcionais e documentais, a partir de suas próprias histórias e histórias ouvidas em seus conterrâneos. ENTRELAÇADOS completa a trilogia Imigração em Cena, composta pelos espetáculos Caminos Invisibles ... La Partida e Barulho D´água.


A dramaturgia foi construída a partir do recorte de investigações sobre a diversidade étnica presente na cidade de São Paulo e as pesquisas de narrativas desses protagonistas, aliadas ao conjunto de pesquisas acumuladas em projetos anteriores do grupo. As cenas transitam entre o biográfico e o ficcional, em um mundo distópico, atemporal, fragmentando o presente e o passado, convergência e divergência dessas diferentes culturas, ritualizações, lapso do tempo, bombardeamento de informações, saúde mental, a incapacidade de convivência em um lugar onde se encontram confinados provocando a angustia diante do tempo, da morte.


Para Carina Casuscelli, que assina a direção e dramaturgia do espetáculo, as histórias de vidas de milhares de imigrantes e as misturas de crenças, hábitos e rituais vividos na metrópole oferecem inúmeras possibilidades e leituras para uma construção dramatúrgica que possa refletir a realidade e os dramas humanos. “São histórias de vidas que desenham o cotidiano da cidade, se entrelaçam, se confundem e permanecem emaranhadas nos diversos territórios, aproximando ou distanciando as pessoas”, conta ela.


ENTRELAÇADOS integra o projeto Companhia Nova de Teatro + 20 Anos contemplado pela 38ª edição do Programa de Fomento ao Teatro para Cidade São Paulo da Secretaria Municipal de Cultura que prevê a realização de peças de repertório, trabalhos formativos como oficinas e palestras, e um livro sobre a trajetória do grupo ao longo de 20 anos.


Sobre a Companhia Nova de Teatro

Fundada em 2001, por Lenerson Polonini em parceria com Carina Casuscelli, a companhia desenvolve um trabalho de pesquisa contínua com base no experimentalismo, visualidade, hibridismo e pesquisa de linguagem. A Companhia Nova de Teatro é uma companhia aberta e a cada novo projeto convida atores, bailarinos e artistas de diversas áreas para colaborarem com suas produções. O teatro multimídia desenvolvido pela companhia procura explorar a tridimensionalidade do palco e a relação da arte com o espaço urbano.


Em 2012, a companhia conquista o primeiro lugar do Prêmio Internazionale Teatro Dell' Inclusione Teresa Pomodoro, em Milão/Itália, com o espetáculo Caminos Invisibles...La Partida de Carina Casuscelli O júri desse prêmio contou com nomes importantes da cena mundial, como Eugenio Barba, Luca Ranconi, Lev Dodin e Jonathan Mills. No ano seguinte, contemplado pelo Edital de Intercâmbio do Ministério da Cultura, os integrantes do grupo realizam residência artística no Attis Theatre, em Atenas/Grécia, estreando no teatro grego a peça Krísis, com supervisão de Theodoros Terzopoulos, diretor da companhia grega. Em junho de 2015 é convidada a exibir figurinos do espetáculo Doutor Faustus Liga a Luz, de Gertrude Stein, no lendário The Bakhrushin State Central Theatre Museum, em Moscou/Rússia, onde também realiza uma performance com fragmentos da peça na abertura do evento Costume at the Turn of the Century 1990 – 2015. No mesmo ano encena o espetáculo 2xForeman: peças Bad Boy Nietzsche e Prostitutas Fora de Moda, de Richard Foreman, com direção de Lenerson Polonini. Já em 2016 estreia a peça Barulho D’água, do italiano Marco Martinelli, com direção de Carina Casuscelli. A última parte do projeto TRILOGIA FOREMAN, com a peça Os Deuses Estão Marretando a Minha Cabeça, cumpre temporada em 2017 no Sesc Pinheiros. Em 2019, o grupo participa do Analogio Festival de Atenas, com o work in progress Kassandra-Hecuba (APÁTRIDAS: parte 1), que, na sequência, é apresentado nas cidades de Sibiu, durante o Festival 25 Ore Teatrul Non Stop, e no Teatrul de Artã, de Bucareste, na Romênia. No início de 2020, a peça é apresentada no mesmo formato no Centro Cultural Olido, como parte do FarOFFa, mostra paralela à MIT SP.


Em 2020, durante o confinamento pela Covid-19, a companhia realiza a série DIÁLOGOS, com objetivo de pensar sobre a criação artística e a sociedade em tempos de pandemia, convidando o público a refletir e elaborar caminhos e estratégias em meio à crise global, com sérios impactos na arte, na cultura, na economia e na política. A série foi realizada via redes sociais e contou com a presença de artistas, gestores, críticos, jornalistas, curadores, pensadores, pesquisadores e líderes de relevada importância no cenário das artes, da cultura, da economia, da política e da filosofia. Em 2021, o grupo realiza temporadas online de A Cripta de Poe, em versão site specific, gravado e transmitido no canal da Vila Itororó e das peças do projeto TRILOGIA FOREMAN. No mesmo ano o grupo estreia o espetáculo Apátridas, contemplado pelo PROAC LAB, com direção de Lenerson Polonini e dramaturgia de Carina Casuscelli, cumprindo temporada no Teatro Arthur Azevedo. Em 2022, o grupo apresenta o espetáculo em Milão, Itália, como parte do Prêmio Internacional Teresa Pomodoro, que contou com júri renomado como Peter Stein, Tadashi Suzuki, Lev e Dodin, entre outros.

Em 2023 o grupo fez a estreia mundial de A Scream in the Dark (Um Grito no Escuro), com dramaturgia e direção de Lenerson Polonini e atuação de Carina Casuscelli no renomado teatro La MaMa Experimental Theatre de Nova York.


Site – cianovadeteatro.com | Instagram, Facebook, YouTube e TikTok – @cianovadeteatro.


QUEM FAZ

Direção geral e Dramaturgia – Carina Casuscelli. Provocações e Iluminação – Lenerson Polonini. Elenco – Carina Casuscelli, Alex Nasser, Emrah Esatoglu, Fran Castellar, Cesar Chui, Isidro Sanene, Safira Lazúli, Suzana Aziza e Thalita Alves. Figurinos – Carina Casuscelli. Trilha Sonora – Wilson Sukorski. Vídeos – Téo Ponciano. Orientação e provocação dramatúrgica – Sônia de Azevedo. Preparação Corporal – Aysha Almee. Preparação Dança Dabke – Márcia Dib. Operação de Som - Felipe Moraes. Operação de Luz – Verônica Castro. Operação de Imagem – Téo Ponciano. Fotos – @jaozinfotografia. Assessoria de imprensa – Nossa Senhora da Pauta. Espaço Cênico e Produção – Carina Casuscelli e Lenerson Polonini (Companhia Nova de Teatro). Assistente de Produção – Thalita Alves.


コメント


bottom of page