© 2019 - Conteúdo - Portal de Cultura e Arte de Brasília e do Brasil

 Editado por Josuel Junior e colaboradores       I     Web Designer: Caio Almeida

  • Instagram B&W

Para sugestão de pauta, envie release o e-mail:

falecomportalconteudo@gmail.com

  • Josuel Junior - Editoria

CLÁSSICO REVISITADO: DOGVILLE SEGUE EM TEMPORADA NO CCBB DF

Clássico do cinema mundial, "Dogville", do cineasta dinamarquês Lars Von Trier, ganha versão brasileira para o teatro. A peça está em cartaz durante o mês de novembro no CCBB.


A peça "Dogville", dirigida pelo paulistano Zé Henrique de Paula, traz Larissa Maciel no papel de Grace. O espetáculo fica em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) até 24 de novembro.


A trama se passa na fictícia cidade de Dogville, uma pequena e obscura cidade situada no topo de uma cadeia montanhosa, ao fim de uma estrada sem saída, onde residem poucas famílias formadas por pessoas aparentemente bondosas e acolhedoras, embora vivam em precárias condições de vida. A pacata rotina dos moradores daquele vilarejo é abalada pela chegada inesperada de Grace, uma forasteira misteriosa que procura abrigo para se esconder de um bando de gangsteres.


Recebida por Tom Edison Jr, que, comovido pela sua situação, convence os outros moradores a acolhe-la na cidade, Grace, apesar de afirmar nunca ter trabalhado na vida, decide oferecer seus serviços para as famílias da Dogville em agradecimento pela sua generosidade. Porém, no decorrer da trama, um jogo perverso se instaura entre os moradores da cidade e a bela forasteira: quanto mais ela se doa e expõe a sua fragilidade e a sua bondade, mais os cidadãos de bem exigem e abusam dela, levando a situação a extremos inimagináveis.


A obra faz uma crítica mordaz ao mundo contemporâneo e à sociedade de consumo por meio de uma radiografia precisa da alma humana.


PROGRAME-SE

PRODUTO: "Dogville"

GÊNERO: Teatro

QUANDO: 1º a 24 de novembro

ONDE: Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) – SCES, Tr. 2

HORÁRIO: 20h (quinta a sábado) e 19h (domingo) *Sessão extra, às 16h, no dia 23 de novembro

QUANTO: R$ 15 a meia-entrada


OPINIÃO DO EDITOR

"Um clássico que fez parte de muitos amantes do teatro. Quando o filme foi lançado, em 2003, tornou-se referência para quem é da área do cinema e do palco. Vale muito a pena!"