CIA. RAINHA DE COPAS DESENVOLVE PROJETOS ARTÍSTICO-PEDAGÓGICOS EM BRASÍLIA

Aliando competência, carisma, alto padrão de produção e processos artístico-pedagógicos, a Cia. Rainha de Copas vem marcando seu nome no cenário da produção cultural brasiliense.

Marília Cunha e Nadja Dulci

Até domingo acontece o FESTAE – 1º Festival de Teatro e Arte-educação do DF. O festival nasceu de uma colaboração entre a Cia Rainha de Copas e a V4 Cultural. A parceria entre esses dois nomes da produção cultural fez com que o evento caísse no gosto do público internauta brasiliense.


Composta pelas atrizes Marília Cunha e Nadja Dulci, a Cia. teve origem em 2016, e, desde então dedica-se à pesquisa e produção de atividades voltadas ao público infantil.


Com a preocupação de desenvolver ações de arte para infância e juventude, a Cia Rainha de Copas está sempre atenta às narrativas das produções artísticas contemporâneas, pesquisando tendências e indo de encontro ao público do segmento educacional, ampliando e valorizando as perspectivas da diversidade cultural na infância.


A cidade de Brasília, potencialmente tem se tornado um polo de debate acerca da arte para infância e os espaços dos festivais são um solo fértil para pensar e repensar essa arte.


“Desde o momento da elaboração desse projeto, vislumbramos que todos os espaços do Complexo Cultural de Samambaia respirassem brincadeiras, e a presença das crianças tomasse conta da atmosfera do lugar, transformando quem passa por ali. Agora, pela internet isso vai acontecer pelas ondas virtuais, chegando em cada casa pelos computadores uma linda festa feita por brincantes, artistas e educadores!”, comenta Nadja Dulci, Coordenadora geral e de Produção do FESTAE e atriz do espetáculo “João, Joãozinho, Joãozito” :


CONHECENDO MELHOR A CIA. RAINHA DE COPAS

Radicadas em Brasília, Nadja e Marília trazem referências de linguagem cênica diversas, commedia dell arte, música, dança, performance, teatro de rua, intervenção urbana e cinema, experiências reunidas nos territórios onde nasceram e trabalharam, Bahia, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Itália.


Lançamento do Livro João Joãozinho, Joãozito em Brasilia com a presença do escritor Claudio Fragata

As artistas que hoje residem na cidade de Brasília se conheceram em 2016 nas atividades formativas realizadas no Festival Cena Contemporânea, em Brasília, quando foram alunas na oficina ministrada pela Cia paulista “Teatro da Vertigem” momento em que puderam experienciar e trabalhar juntas uma primeira criação performativa que refletia o corpo no espaço público. A identificação artística foi imediata, a partir daí começaram a desenvolver pesquisas em linguagem.


No ano de 2017 a Cia ocupou o Teatro Conchita de Morais da Faculdade de Artes Dulcina de Moraes onde desenvolveu estudos de atuação e dramaturgia. Nesse mesmo ano foram premiadas pelo Fundo de Apoio a Cultura do Distrito Federal para realizar a montagem do espetáculo “João, Joãozinho, Joãozito” que é o primeiro projeto realizado pela dupla. Baseado na obra homônima de Cláudio Fragata. A Cia reuniu artistas de destaque da cena teatral brasiliense para a composição da equipe artística: Ana Flávia Garcia, diretora e dramaturga, Jonathan Andrade, cenógrafo, Vanderlei Costa, figurinista, Lucas Ferrari, músico e Ana Quintas, diretora de iluminação.


No ano de 2018 a Companhia foi até a cidade de Sagarana que integra o Circuito Grande Sertão Veredas para realizar pesquisa de linguagem para a montagem do espetáculo inspirado na infância de Guimarães Rosa. Na ocasião, participaram do Festival Cine Baru como educadoras em duas oficinas realizadas com adolescentes da zona Rural da cidade. Seguindo a agenda do ano, a Cia. foi novamente contemplada pelo Fundo de Apoio a Cultura do Distrito Federal com o projeto “Trilhando João: do Cerrado ao Sertão.


Com o amadurecimento da Cia, cada vez mais propostas foram surgindo e em 2019, a Rainha circulou com “João, Joãozinho, Joãozito” em temporada nas cidades de Brasília, Samambaia e Planaltina, no Distrito Federal. A temporada contou com apresentações em libras e programa traduzido em Braile, reafirmando o compromisso da Cia Rainha de Copas de que o teatro deve ser acessível a todas as pessoas. O espetáculo se apresentou em temporadas no Sesc Garagem e Centro Cultural Renato Russo.

As produtoras e atrizes em cena.

Como desdobramento, foi lançado também o livro “João, Joãozinho, Joãozito: o menino encantado”, com a presença do autor Cláudio Fragata que veio até Brasília especialmente para o evento.

Agora, em 2021, com o 1° Festival de Teatro e Arte-educação do DF, a companhia consolida sua marca no Distrito Federal sendo modelo de gestão cultural, agitadora artística e instrumento formativo para crianças e jovens. Sobre o evento, Nadja conclui:


“Estamos vivenciando um momento de tantas incertezas sociais, que refletem também no âmbito educacional, esperamos que a programação do FESTAE se abra como uma janela colorida no horizonte das possibilidades do brincar em casa e na escola, alimentando nossos sonhos em direção a uma comunidade mais inclusiva e justa onde crianças e adultos brincam juntos com amor.”


O FESTAE segue em temporada até o dia 30 de maio de 2021. Confira a programação restante:


27/05 (QUINTA) – Exibição do espetáculo “Benedito, Abençoado e Benzido”, do Mamulengo Fuzuê.

Horário: 10h e 15h (disponível no canal por 24h).

O bate papo com artistas será às 19h.

Integrantes: Thiago

Convidado: Lyvian Sena e Augusto Rodrigues

28/05 - 19hs

- Cia Burlesca

Convidado: Maysa Carvalho

Artistas convidados para a fase final do festival

28/05 (SEXTA) – Exibição do espetáculo “Bendita Dica”, da Cia Burlesca.

Horário: 10h e 15h (disponível no canal por 24h). O bate papo com artistas será às 19h.


29/05 (SÁBADO)

Oficinas Artísticas

10h às 12h - Inaugurando um novo olhar Celeiro das Antas - O do Grupo de Teatro Celeiro das Antas propõe a Oficina Inaugurando um Novo Olhar, com enfoque sobre a construção de bonecos a partir de objetos cotidianos resultado do processo de montagem do espetáculo “A História do Balão Vermelho”.


14h às 16h - O Brinquedo e Brincadeira Mamulengo Fuzuê - Mamulengo Fuzuê fará a Oficina O Brinquedo e a Brincadeira. A oficina pretende ser um lugar de troca e aprendizado sobre o folguedo da Cultura Popular Brasileira, o universo do Teatro de Mamulengo abordando um pouco da história do teatro de bonecos no Brasil e a estrutura da Brincadeira de Mamulengo no que diz respeito a musicalidade e personagens tradicionais.


17h às 19h - Brinquedos Poéticos/ Duo Brinquedo - Na oficina, Duo Brinquedo desdobra as poéticas do espetáculo “Brasília, brinquedo de ler” em um novo convite: reprojetar Brasília numa brincadeira de bagunçar as estruturas da cidade com os próprios objetos, fúrias e paixões. Os oficineiros são os artistas Gabriel Guirá e Ana Flavia Garcia.


30/05 (DOMINGO)

Oficinas Artísticas

10h às 12h - Brincadeiras Tradicionais/ Cia Rainha de Copas - A Cia Rainha de Copas oferecerá a Oficina Brincando com João, que tem como objetivo juntar a brincadeira tradicional que de alguma forma já faz parte do repertório da criança, com a Pedagogia Griô com a intenção de privilegiar os saberes e fazeres tradicionais já existentes no imaginário do educador.


14h às 16h - Contação de Histórias/ Cia Burlesca - A Cia Burlesca irá ministrar a Oficina de Contação de Histórias. Nela serão abordados conteúdos como valores contidos nas histórias, técnicas de narrativa, interpretação, elementos para narração, preparação e apresentação de histórias e recursos artísticos.