ARTISTA CRIADOR DO PROJETO "GURULINO" É PRESO E AGREDIDO POR POLICIAIS NO DF

"Comunista vagabundo financiado por sindicatos de esquerda!" - De acordo com Pedro Sangeon, esta foi uma das frases ditas pelos policiais que o agrediram. Formado em artes visuais pela UnB, o artista urbano, ilustrador e criador do famoso personagem Gurulino é conhecido por sua contribuição artística no DF. Na abordagem policial, foi violentamente detido porque agentes confundiram grafite com pichação.


Um artista Um artista de Brasília Um artista de Brasília respeitado e premiado Um artista de Brasília respeitado e premiado pela Secretaria de Cultura Um artista de Brasília respeitado e premiado pela Secretaria de Cultura foi preso Um artista de Brasília respeitado e premiado pela Secretaria de Cultura foi preso

e obrigado a ficar nu na delegacia Um artista de Brasília respeitado e premiado pela Secretaria de Cultura foi preso

e obrigado a ficar nu na delegacia enquanto os policiais civis o obrigaram a fazer flexões...

...Eles riam dele.


Pedro Sangeon é um dos artistas é um dos artistas visuais mais respeitados de Brasília. Criador do personagem Gurulino - uma criatura zen que está em diferentes pontos de Brasília - ele e dois amigos foram abordados por policiais militares próximos ao Lago Norte e autuados como pichadores. Os grafites produzidos por Pedro possuem relevância história no DF e estampam muros e espaços culturais há vários anos.


De acordo om um forte e gravíssimo depoimento postado nas redes sociais, Pedro contou um caso de abuso de autoridade sofrido por ele em junho deste ano. A postagem revela detalhes aterrorizantes:


"Um dia, no final de junho, seguindo a risca todo o protocolo da pandemia, sai para pintar um mural na rua, com o intuito de trazer um respiro de arte pra cidade, como faço há mais de 7 anos e como sou reconhecido pelas pessoas de Brasília. Fui abordado violentamente pela polícia. Não pude nem sequer dizer o meu nome. Fui agredido verbalmente e com truculência física. Não pude falar, pegaram meus documentos, tomaram meu celular, tiraram a identificação do uniforme. Fui levado para a delegacia onde fui preso, algemado à uma barra de ferro, obrigado a ficar sem roupa e fazendo flexões enquanto eles riam. Fui xingado, ameaçado e humilhado por polícias pró-governo. Repetiam o tempo todo que, se eu fosse 'bolsonaro', o tratamento seria outro".

Reprodução: Internet

"COMUNISTA VAGABUNDO FINANCIADO POR SINDICATOS DE ESQUERDA"

Sim... esta foi uma das frases escritas por Pedro na denúncia aberta pelas redes.


"Fiquei sem direito a usar máscara, sem celular, sem roupa, algemado, em uma cela trancada. Me chamaram repetidamente de 'comunista vagabundo financiado por sindicatos de esquerda'. Isso durou mais de 4 horas na cela, em uma delegacia do Paranoá, sem que nenhuma pessoa, amigos ou familiares soubessem do meu paradeiro. O que aprendi com isso? Que precisamos ser fortes, falar sobre o que está acontecendo e deixar claro, para aqueles que escolheram o governo atual, o que vem acontecendo com os artistas da cidade e que precisamos urgentemente se manifestar, votar com mais clareza, consciência e bom senso".


Ironicamente, Pedro passou por tudo isso, no mesmo mês em que recebeu oficialmente o reconhecimento de seu trabalho pela Secretaria de Cultura do Distrito Federal. Reconhecimento esse por seus serviços de grafite para a cidade. "Alguma coisa muito errada e sombria está acontecendo no coração das pessoas. Isso precisa mudar”, comenta o artista, que também é requisitado por órgãos do governo de Brasília para ilustrar espaços geridos pelo GDF.

Foto do site da Secretaria do Meio Ambiente do DF. A obra de Pedro foi selecionada para outdoor do Parque Olhos d'água - ASCOM GDF

Numa reportagem também muito forte veiculada no Portal G1, há a informação de que um sargento da PM estava patrulhando a região do Lago Norte quando viu o grupo pintando uma área pública. Eles foram presos e levados para a 6ª DP, no Paranoá, onde foi registrada uma ocorrência por pichação, e as tintas e pincéis ficaram apreendidos. Ainda de acordo com a matéria, Fábio Félix, deputado presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa do DF, disse que vai acompanhar o caso.


A Secretaria de Cultura diz que lamenta o episódio. A PM diz que a responsabilidade é da Polícia Civil/. A Polícia Civil disse que vai apurar se houve mesmo abuso de autoridade. Se isso não faz o seu coração sangrar, se isso não te faz tremer de pavor, ira e desespero... é porque já chegamos ao fim.


O Portal Conteúdo presta solidariedade a Pedro Sangeon e espera que o caso seja apurado com ética, responsabilidade e rapidez.


Brasília, setembro de 196... de 2020.

1/5

© 2019 - Conteúdo - Portal de Cultura e Arte de Brasília e do Brasil

 Editado por Josuel Junior e colaboradores       I     Web Designer: Caio Almeida

  • Instagram B&W

Para sugestão de pauta, envie release o e-mail:

falecomportalconteudo@gmail.com