top of page

A MELHOR NOVELA DE MANOEL CARLOS ENTRA NO CATÁLOGO DO GLOBOPLAY

História de Amor é uma daquelas novelas muito bem amarradas. Personagens marcantes, crônicas cotidianas e um enredo simples e muito bom de assistir.

Helena e Joyce

Uma história de amor com quatro personagens centrais, Carlos (José Mayer), Helena (Regina Duate), Sheila (Lilia Cabral) e Paula (Carolina Ferraz), que vivem o amor de diferentes formas em meio a muitos conflitos. Esse é o mote de História de Amor, exibida originalmente entre 1995 e 1996, disponível desde a última segunda, 5/6, no Globoplay. A protagonista Helena é uma mulher que vive às voltas com a filha Joyce (Carla Marins), uma adolescente mimada e inconsequente, que engravida do namorado embuste. Quando a jovem sofre um acidente, provocado pelo rapaz, Joyce é socorrida pelo médico Carlos que está a caminho da igreja para o seu casamento com Paula. A adolescente é a mais malvada das filhas das Helenas construídas pelo autor. Carlos leva a adolescente para a sua clínica, os dois constroem um laço de amizade e, por meio da jovem, ele é apresentado a Helena, por quem se encanta e vice-versa. Apesar de consumar o casamento com a dondoca Paula, Carlos não tira Helena da cabeça. Mas o doutor, que sofre com a pressão da mulher, ainda precisa administrar os ataques da ex-namorada e sócia Sheila (Lilia Cabral), que faz de tudo para reconquistá-lo.

A novela tem ainda no elenco Nuno Leal Maia, Ângelo Paes Leme, Yara Côrtes, José de Abreu, Maria Ribeiro, Eva Wilma, Claudio Côrrea e Castro, Monique Curi, Dennis Carvalho, Claudio Lins, entre outros. A abertura segue como proposta o amor e traz um casal apaixonado celebrando o sentimento. A moça é a apresentadora do JN, Renata Vasconcellos, que na época trabalhava como modelo. De acordo com o site Memória Globo, História de Amor marcou a comemoração de 30 anos de carreira da atriz Regina Duarte, pela primeira vez interpretando um papel em uma novela das 6. Pelé fez uma participação especial na trama, sendo entrevistado pelo personagem Assunção (Nuno Leal Maia). E a novela marca a estreia de Fernanda Nobre e Sérgio Hondjakoff, ainda crianças, antes de estourarem em Malhação. A atriz Lilia Cabral disse que sua personagem, Sheila, era o oposto de tudo o que tinha feito até então, tendo trabalhado mais com comédia. A personagem foi a sua primeira personagem em televisão que despertou a antipatia do público. Sheila demandava uma carga de explosão emocional muito grande.


"História de Amor" teve duas trilhas sonoras comercializadas. Ambas de enorme sucesso popular. A primeira contava com um repertório que ovacionava a MPB. A segunda, curiosamente, foi vendida como um disco comum repleto de love songs. A pessoa que olhava a cama não sabia ao certo se era uma coletânia romântica habitual ou temas executados na TV. Tanto que na contracapa nem há menção de que tratava-se de um disco de novela.


Ela foi a primeira novela reprisada no Vale a pena ver de novo que passou a ser pautada em outros canais, tamanho o sucesso da reexibição entre 2001 e 2002. Programas, como o de Sônia Abrão, levavam revistas antigas no ar para comentar os capítulos seguintes da atração. O sucesso foi tanto que a sucessora de "História de Amor" foi outra novela clássica de Manoel Carlos: "Por Amor", exibida entre 2002 e 2003 e abrindo espaço para dois anos de intenso sucesso das atrações vespertinas da emissora.


A novela já está disponível para os assinantes do Globoplay.


Portal Conteúdo com informações do GShow

コメント


bottom of page